linda insta

Reportagens EDIÇÃO 42 - NOVEMBRO 2010

Hora do banho


Se no início a higiene não ficar perfeita, tudo bem. O importante é a criança aprender a se cuidar sozinha

Tudo acontece cada vez mais depressa. As crianças nascem e crescem numa velocidade que exige pique para acompanhar e para elas as coisas estão chegando mais e mais cedo. Aos cinco ou seis anos já começam os convites para dormir na casa do amiguinho e até a noite do pijama na escola. Para se dar bem nessas situações é preciso que a criança já saiba se virar, até porque isso lhe dará mais segurança. Saber tomar banho sozinho é muito importante, mas é uma tarefa que não se aprende da noite para o dia. É preciso treinar. De acordo com a médica pediatra, Josane de Freitas Caldas Dutra, 50 anos de idade, sendo 25 de profissão, a partir dos três anos já se pode incentivar o banho sozinho – mesmo sabendo que, no início, a higiene pode perder para a brincadeira.
“É claro que não dá para simplesmente esquecer seu filho no banheiro. Nessa idade, a competência para se lavar sozinho ainda é pequena. A criança tem apenas uma noção da importância da higiene, função do banho”, ressalta. Segundo a pediatra, muitas encaram o banho só como brincadeira. “Os pais precisam dar uma certa assessoria, lembrar o filho de lavar todas as partes do corpo, mostrar como fazer e no final dar um arremate, para tirar aquele pouquinho de xampu que fica no cabelo”, observa.
BRINCADEIRA - Se, para o seu filho, o banho não tem graça sem brincadeiras, use-as para ensiná-lo a se lavar. Mas lembre-se que o mais importante é deixá-lo fazer tudo sozinho, observando o seu comportamento. É muito importante a criança experimentar, errar, acertar, conquistar. “É assim que se desenvolve em todas as áreas. No caso do banho, pode ser mais saudável ficar com o pescoço um pouco sujo do que sem autonomia no futuro para se cuidar sozinho”, explica Josane. Com o calor se aproximando o novo aprendizado é favorecido, pois a criança corre menos risco de ficar resfriada.







Assessoria na medida

. Verifique a temperatura da água. Banho muito quente resseca a pele e pode causar inclusive queimaduras.

. Procure usar produtos específicos para crianças, que são menos ácidos do que os usados pelos adultos. Os baixinhos têm a pele e o couro cabeludo mais sensíveis.


. Oriente a criança na quantidade de xampu para lavar os cabelos e verifique o enxágue para que não fiquem resíduos nos fios.

. Estimule seu filho a caprichar na limpeza de certas áreas, como as axilas, atrás da orelha, as dobras de pele, a região genital e entre os dedos dos pés.

. Limite o tempo do banho. Duchas prolongadas têm sobre a pele o mesmo efeito de um banho quente. Cerca de 10 minutos são suficientes para a criança brincar e se lavar.

. Cuidado com os banhos em chuveiros com aquecimento a gás, nesse caso a atenção deve ser redobrada.


Fonte: pediatra Josane de Freitas Caldas Dutra





EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 136 - junho de 2019

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601