linda insta

Reportagens EDIÇÃO 37 - JUNHO 2010

Quando é mais que dor de cabeça


Perda gradativa do desejo sexual afeta a saúde das mulheres

A desculpa da dor de cabeça para evitar uma relação sexual nem sempre é uma escolha. Muitas mulheres sofrem de uma disfunção que inibe a vontade de fazer sexo, a Síndrome do Desejo Sexual Hipoativo (DSH). O problema, além de trazer instabilidade conjugal, pode atrapalhar a saúde. Cansaço, indisposição, compromissos com a casa e a família, brigas com o companheiro e envolvimento com o trabalho são questões que podem tirar o foco da vida sexual. No entanto, a ausência de vontade por muito tempo pode sinalizar o problema.
De acordo com a psiquiatra Fernanda Scarparo Boeck, a mulher vive sob influência de ciclos e acaba ficando suscetível às diferentes fases pelas quais passa ao longo da vida. E o desejo delas por sexo pode variar bastante. “A gravidez, o período pós-parto e a menopausa são momentos especiais na vida de uma mulher e é aí que o problema pode se manifestar”, alerta a médica, explicando que a DSH não acontece de uma hora para outra. Normalmente as mulheres perdem gradativamente a vontade sexual.
Fernanda explica que as causas dessa diminuição podem ser tanto físicas quanto psicológicas. A jornada extensa de afazeres no trabalho e em casa pode impactar a saúde sexual das mulheres, que acabam ficando fragilizadas e com a autoestima baixa. Além do estresse, a depressão também é uma das razões que levam à perda do desejo sexual. Esse pode ser inclusive um efeito colateral de determinados tipos de antidepressivos. “A depressão pode tanto ser a causa do problema quanto uma consequência. Daí a importância de a mulher estar atenta e procurar ajuda médica”, alerta Fernanda.
A psiquiatra avalia que embora o sexo tenha se tornado um assunto mais comum nos últimos anos, muitas mulheres – principalmente as mais velhas – ainda tratam a vida sexual como um tabu. “E isso é errado. É preciso conversar com o companheiro, tratar da questão da forma mais normal possível”, orienta a médica, acrescentando que o problema também atinge as mulheres jovens. “Uma boa maneira de evitar isso é aceitar que o sexo é algo normal, viver bem com o próprio corpo, aceitar as mudanças que acontecem ao longo da vida e, principalmente, evitar que questões emocionais causem mal à saúde”, diz.





A Síndrome do Desejo Sexual Hipoativo (DSH) é um transtorno psiquiátrico e que precisa de tratamento. A melhora pode tanto se dar por meio de terapia ou do uso de medicamentos.





EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 136 - junho de 2019

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601