linda insta

Reportagens EDIÇÃO 25 - MAIO 2009

Pequeno explorador


Entre o primeiro e segundo ano de vida é que o mundo começa a ganhar significado para as crianças

 

Seu filho já anda, começa a dizer as primeiras palavras, logo vai deixar a chupeta, a mamadeira e as fraldas. É nessa fase entre o primeiro e o segundo ano de vida que acontece grande parte das descobertas, por isso o importante é que tudo aconteça sem estresse e na brincadeira mesmo. De acordo com a psicóloga especialista em psicoterapias na infância Rose Caldas, 50 anos de idade e 26 de profissão, a família, especialmente a mãe, e o ambiente em que a criança vive é que irão determinar a base que ela terá por toda a vida.

 

12 a 14 meses

A criança começa a formar as primeiras palavras, então converse muito com ela. Essa interação é muito importante para ajudar a desenvolver a fala. Também nessa fase, a maioria começa a andar. “Não há melhor andador que os braços da mãe, portanto, incentive esse aprendizado”, observa Rose.

 

15 a 17 meses


Nessa fase a criança já consegue caminhar bem e adora explorar essa arte, anda para frente e para trás e quer subir escadas. “Deixe ela à vontade para descobrir, não interfira nessa exploração para que seu filho possa descobrir o que consegue fazer”, explica Rose. Além disso, elas imitam tudo o que os adultos fazem e o vocabulário começa a ser ampliado. Também começam a querer comer sozinha. “É importante montar um caixa de brinquedos e dar para que a criança se sinta dona”, ensina a psicóloga.

 

18 a 20 meses


Já consegue correr sem cair tanto e muitos conseguem perceber a hora de fazer xixi. Esse controle varia e não deve ser apressado. Ofereça os chamados troninhos que têm formas divertidas e incentivam a criança a fazer suas necessidades.

 

21 a 24 meses


Fique atenta, essa é a fase em que a criança vai mexer em tudo. Já está cheia de vontades e não gosta de dividir nada. “Nessa idade elas partilham pouco e brincam mais sozinhas”, observa Rose. Cabe aos pais irem mostrando que o mundo não gira em torno dela e que é preciso esperar a sua vez. Dê brinquedos que ajudam a aprimorar a coordenação, blocos de montar e bonecos.





 



Garanta um ambiente positivo ao desenvolvimento da criança


. A mãe deve manter o contato físico com seu bebê. Além de fome, sono e frio, ele sente solidão.
. Expresse sentimentos positivos em relação à criança.
. Estimule a criança a expressar suas necessidades, a fazer progressos em seu desenvolvimento.
. Assegure para a criança que estará sempre disponível quando realmente precisar de você. Fale onde estará e quando volta. Não minta para ela.
. Cuidados maternos precários e constantes trocas de babás podem fazer a criança crescer insegura.


 

 

Crianças precisam de segurança para um bom desenvolvimento




 


Entre o primeiro e o segundo ano de vida da criança é formada sua base emocional. A maneira como a mãe se comporta e se sente em relação a seu filho exercerá uma grande influência sobre a saúde do bebê, pois ela é o primeiro ambiente tanto em termos biológicos como psicológicos. “Quando a mãe é receptiva aos sinais dos filhos e responde pronta e adequadamente, a criança se desenvolverá bem. O êxito do cuidado infantil depende da devoção da mãe e não do seu jeito ou de sua capacidade intelectual”, observa Rose. “Evite superprotegê-lo, considerando tudo perigoso ou ficando perto demais. Essa preocupação toda tem a mesma conotação de uma mãe que insiste em encher de comida uma criança já alimentada”, ressalta a psicóloga.







BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601