linda insta

Reportagens EDIÇÃO 17 - SETEMBRO 2008

Juventude sustentável


Jovens cachoeirenses acreditam no seu potencial e mostram que idade não é documento

 

Determinação, sucesso e realização profissional são os principais objetivos que a maioria dos jovens almeja. Entretanto, atributos como esses são garantidos a uma parcela crescente da juventude que ainda na adolescência sai em busca dos seus sonhos e evolui através de seu próprio esforço. Eles fazem parte de um grupo que não espera suporte dos pais e parte para luta. São independentes e além de trabalhar, mantêm os estudos como prioridade para seu crescimento profissional. Essa nova juventude sustentável vem se destacando e realizando feitos evidentes na sociedade.
Trabalhar é uma experiência que pode ser muito mais rica que apenas ganhar dinheiro. Foi assim que aconteceu com a jovem Mireile de Cássia Alves de Freitas, 22. "A minha vontade de trabalhar e ter minha independência me ambicionaram a trabalhar quando ainda tinha 15 anos", conta. Com a primeira tentativa frustrada no antigo Posto Fritz, por ser menor de 16 anos, ela se encheu de mais determinação e força de vontade para a seleção de caixa nos supermecados Imec. "Meus pais foram contra no início, até porque eu teria que fazer um treinamento em outra cidade, mas acabei convencendo eles. E deu certo, porque iniciei trabalhando por quatro horas até passar a ser funcionária integral da empresa onde fiquei por 10 meses", revela Mireile.
Com os olhos ainda brilhando, ela se orgulha de ter alcançado o posto de caixa de pessoa jurídica na cooperativa Sicredi. "Já completei três anos no banco e quero fazer carreira aqui, até chegar a gerente", observa a universitária de Administração. Segundo Mireile, ela paga seus estudos, adquiriu uma moto enquanto trabalhava em O Boticário e comprou um carro depois de ter ingressado na cooperativa. "Estou muito feliz com o que já consegui, mas ainda quero e posso muito mais. Acredito que as oportunidades existem para todos, mas não podemos esperar por elas e sim correr atrás delas com humildade e perseverança", comenta.

 

A ambição de Mireile fez com que ela crescesse rapidamente subindo de caixa no Imec à atendimento de caixa de pessoa jurídica no Sicredi



 

Quando crescer eu quero ser...


Alguns destinos são diferentes e parecem estar mais longe de alcançar. Esses casos normalmente são motivados por um grande sonho. Aos 25 anos, Dionatan Teixeira Mattjie atua como coordenador de infra-estrutura e segurança de Tecnologia de Informação na Unimed/ RS, em Porto Alegre. Sua trajetória é longa e iniciou aos 16 anos, quando o cachoeirense teve o desejo de aperfeiçoar-se na paixão de infância no ramo da computação. "A busca pela minha independência e a ajuda nos custos de cursos e faculdade também me motivaram a iniciar uma carreira logo cedo", afirma. Dedicado desde novo, e sempre apoiado pela família, o garoto completou o curso de inglês no CCAA junto ao ensino fundamental na Escola Estadual Antônio Vicente da Fontoura.
Após o término da primeira fase, ingressou no Colégio São Pedro e simultaneamente começou a trabalhar como office-boy em uma madeireira. As coisas foram acontecendo e Dionatan ingressou no curso de Sistemas de Informação na Ulbra e passou por empresas como HCB, Unimed Centro e São João, todas na área de informática, oportunizando a ele cargos maiores devido ao seu esforço. Além disso, ainda leva em seu currículo mais de 30 cursos e especializações na área. Para o mestrando em gerenciamento de redes, sua ascensão se deve totalmente ao tamanho de sua força de vontade. "O que posso passar como mensagem aos jovens de hoje é que nunca desistam de seus sonhos, e como diria Albert Einstein, procure ser uma pessoa de valor em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso, pois o sucesso é conseqüência", complementa.

 


Criado pela avó e pelo tio, Dionatan é um exemplo de pró-atividade e total dedicação na busca de seus sonhos

 

 


De cara com o destino


Ainda existe um outro modelo de jovens que rapidamente encontram alternativas através de talentos e oportunidades inesperadas. Foi assim que aconteceu com o coordenador da rádio Atlântida - RBS Rádio Caxias do Sul, Rodrigo Lopes Reis, que desde os 14 anos ainda no colégio já sentia que as coisas iriam surgir de alguma forma. O comunicador iniciou  carreira discotecando em casas noturnas como Bass Café, Armazém 320 e logo vieram as apresentações de eventos, a rádio comunitária, rádio Cachoeira, o projeto Rádio Talento da Rede Atlântida em 2002, onde realizou uma bateria de testes e seleções e foi aprovado para assumir a coordenação de eventos da RBSTV e Rádio Atlântida de Santa Cruz do Sul, até chegar no sistema RBS da Serra Gaúcha. "O mais importante de toda minha trajetória foi o apoio recebido pelo trio da minha vida. Meus pais José e Mara e meu irmão Wiliam", conta. Aos 27 anos, Rodrigo, além de coordenador da rádio, atua como locutor da RBS TV da serra, professor profissionalizante de radialismo no Senac e DJ nas mais badaladas festas. Além de todas as atividades, ele ainda encontra tempo para cursar a faculdade.

 


Rodrigo trabalha mais de 10 horas diárias: "Sorte, esforço e muito amor pelo que faço fazem parte da minha receita de sucesso"

 


Na cara e na coragem


Muitos jovens sonham com uma boa carreira profissional e buscam caminhos para chegar até lá. Outros experimentam algumas opções, mas demoram a se encontrar. Não são poucos os casos de adolescentes que já começaram com seu próprio negócio por não achar nos estudos o imediatismo de suas ambições. O jovem Maison Baierle, 24, é um desses casos. Desmotivado e sem saber qual seu real desejo após concluir o ensino médio no Colégio Mellinho, em Lajeado, ele chegou a prestar vestibular para Odontologia na Ulbra, onde cursou apenas um semestre. "Foi aí que decidi abrir um site. Na época, Cachoeira não tinha nenhum negócio parecido e eu disse pra mim mesmo: preciso investir nessa idéia. Criei o Blitz da Balada na cara e na coragem. Não tinha capital e pensava que poderia sozinho, administrar, tirar fotos e atualizar o site", conta ele, relembrando com graça aqueles momentos.
Os eventos e cliques foram surgindo na vida do jovem, encantando-o e levando-o a organizar suas próprias festas. Desde 2005, o empresário realiza os maiores eventos na noite de Cachoeira. "Hoje olho para trás e sei que somente porque fui ousado e muito persistente eu cheguei onde estou", observa Maison, sócio e criador da Festa Mais, sócio da casa noturna Hype e proprietário do Blitz da Balada, um dos sites mais acessados da cidade. Mesmo com todos esses feitos, o empresário da noite já teve altos e baixos, perdeu tudo em eventos grandiosos e teve de recomeçar do zero. "Mesmo que da maneira errada, eu tive que ousar em certas situações, para hoje ter aprendido a lição. Com certeza, dou mais valor às coisas que tenho e já conquistei porque com dor já as perdi", confessa.

 


Persistência e ousadia: aos 24 anos Maison, depois de um período de instabilidade e altos investimentos, comemora a boa fase nos negócios com a Hype, Festa Mais e Blitz da Balada

 

 






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 134 - abril de 2019

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601