linda insta

Reportagens Edição 180 - Julho de 2023

Solta o som


Marcelo é empresário na Império Musical e músico profissional há 18 anos

Música é vida, e fazer música a torna mais bela

 

Muitas pessoas encontram na música um hobby para recarregar as energias e estimular sua criatividade. Aprender a tocar um instrumento musical melhora a capacidade de realizar várias tarefas simultaneamente, estimula a memória e reduz o estresse. 

 

Conforme Marcelo da Rosa Machado, 33, empresário no ramo e músico profissional há 18 anos, os instrumentos são divididos basicamente em três categorias: cordas, sopro e percussão. Esteticamente, alguns são muito parecidos, porém, são diferentes em funcionamento, na maneira de tocar e no som produzido.

 

 

Antes de escolher um instrumento para tocar, veja estas cinco dicas que vão te ajudar a ter mais clareza.

1 - Reflita sobre o seu gosto musical
Pense em qual instrumento combina melhor com o estilo musical que você gosta. Se você é fã de bossa nova e MPB, optar pelo violão faz total sentido. Agora, se você é apaixonado por heavy metal, a guitarra vai te deixar muito feliz. 

 

2- Qual instrumento mais chama a sua atenção?
Faça um exercício e recorra à memória. Tente lembrar qual instrumento musical você costuma ficar mais fascinado durante um show ao vivo! 

 

3- Avalie tempo e orçamento
Todos os instrumentos têm o seu grau de dificuldade e isso deve ser levado em conta. Além disso, caso na sua região não tenha aulas de instrumentos gratuitas, você deverá buscar uma escola particular, e os preços costumam variar bastante. Defina o orçamento que você pode e está disponível a investir. 

 

4- Faça uma aula experimental 
Fazer uma aula e poder conversar com o professor vai ajudar muito a tomar a decisão. Observe como você se sente em cada aula e qual instrumento te deixou mais feliz nesta experiência. 

 

5- Busque inspiração nas redes sociais
Geralmente, teclado, violão e guitarra são os mais comuns, mas sempre há outras pessoas estudando outros tipos de instrumentos. Navegue pelas redes sociais e veja vídeos de bandas e músicos para se inspirar!

 


Parecidos, mas nem tanto!

Ukulele e cavaquinho: à primeira vista, parece ser o mesmo instrumento, mas cada um tem sua própria característica sonora, construção e afinação. “A maior diferença entre eles são as cordas. Enquanto o ukulele tem cordas de nylon e maior espaçamento entre elas, o cavaquinho tem cordas de aço e um espaçamento menor”, diz.  

 

Contrabaixo e guitarra: estes dois instrumentos também são muito confundidos. Visualmente até podem ser parecidos, mas suas diferenças são bem expressivas, tanto na sonoridade quanto na maneira de tocar. “Tradicionalmente, o contrabaixo tem quatro cordas bem grossas, mas também existem modelos com cinco e seis cordas. Já a guitarra tem seis cordas mais finas”.  

 

Clarinete, saxofone e oboé: a principal diferença entre os instrumentos de sopro está na parte responsável pela emissão do som. O saxofone e o clarinete utilizam palheta individual presa na estrutura do instrumento em uma parte chamada boquilha. Ao soprar alternando as chaves, o som é emitido. Já o oboé é um instrumento presente na orquestra sinfônica. Ele possui boquilha com palheta dupla, onde encostamos os lábios, cobrindo-a totalmente.






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 190 - Junho de 2024

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9644 - (51) 3722-9600