linda insta

Reportagens Edição 175 - Janeiro e Fevereiro de 2023

Infertilidade feminina


“A síndrome do ovário policístico pode ser assintomática e a causa para quem tem dificuldade em gravidar”. Pâmela Moraes

Saiba quando o problema está associada a doenças endócrinas 

 

 

á parou para pensar se o estilo de vida que você leva hoje condiz com a saúde que quer ter daqui dois, cinco ou 10 anos? Parece clichê, mas hábitos saudáveis evitam que o nosso organismo desencadeie uma série de doenças graves. No caso das mulheres, uma das mais comuns é a síndrome dos ovários policísticos (SOP), uma doença endócrina complexa, que afeta de 5% a 10% da população feminina em idade fértil. 

 

A principal característica, segundo a endocrinologista Pâmela Moraes, 32, é a irregularidade menstrual ou amenorreia (parada da menstruação). Também, o aumento dos níveis de hormônios masculinos no corpo da mulher, que provoca o crescimento de pelos e acne, entre outros sintomas. “A SOP crônica é considerada o fator mais frequente de infertilidade nas mulheres, e mais de 25% das pacientes que têm a SOP são assintomáticas”, alerta a médica.

 
 
 
ATENÇÃO!
A principal recomendação para o tratamento, segundo Pâmela, é a mudança dos hábitos de vida, por meio da reeducação alimentar e de exercícios físicos. Em alguns casos, o uso de medicamentos também pode auxiliar na perda de peso.
 

Relação obesidade x SOP 
A obesidade é um dos sinais mais comuns associados à SOP. Segundo Pâmela, ela dificulta o tratamento para infertilidade e faz aumentar o número de abortos espontâneos. “Mulheres obesas e com a síndrome têm mais irregularidade menstrual e amenorreia.  Também são mais suscetíveis a diabetes do tipo 2, têm mais distúrbios do sono e podem desenvolver doença cardiovascular”, destaca Pâmela.  
 
 
Mas afinal, é possível engravidar? 
De forma geral, a síndrome dos ovários policísticos impede a liberação dos óvulos no ovário. No entanto, um estudo publicado no portal da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) aponta que a doença pode causar infertilidade em até 40% das pacientes. “Esse dado traz uma informação muito otimista: de que, no mínimo, seis entre 10 mulheres com SOP vão conseguir engravidar. Ou seja, mesmo com a patologia, existe um pequeno número de mulheres que engravida naturalmente”, afirma a endocrinologista. 
 
Mas é importante lembrar que os riscos de uma gestação nessas condições são maiores, quando comparadas a gestações normais.  “Parto prematuro e nascimento de bebês pequenos para a idade gestacional podem acontecer com mais frequência dentro deste quadro”. 





EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 189 - Maio de 2024

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9644 - (51) 3722-9600