linda insta

Reportagens Edição 138 - agosto de 2019

Boas de pernas


Mulheres que têm a corrida como hobby

 

 

Atividade física comum hoje em dia, a corrida era proibida para mulheres nos EUA até 1967. A atleta norte-americana Kathrine Switzer entrou para a história ao se tornar a primeira mulher a participar de uma maratona, desafiando as regras da organização à época. Cinco décadas depois, elas tomaram as ruas do mundo todo e ganharam competições exclusivas para mulheres. Em Cachoeira do Sul, temos bons exemplos de corredoras que se destacam no esporte. Confira!

 
"Comecei a correr há 26 anos, quando entrei no programa de treinamento da Escola Borges com o professor José Luis, e não parei mais. Hoje ostento o título de primeira brasileira a correr uma prova de seis dias no circuito mundial de ultras na França, com 451 quilômetros, sendo a atual recordista brasileira de provas de seis horas. Fui campeã mundial em prova de 48 horas – e tenho o recorde da modalidade, com 249 quilômetros –, mais de 20 vezes campeã gaúcha, campeã brasileira e sul-americana. Também faço desafios de extremos correndo nos lugares mais difíceis do mundo, como Deserto do Saara (África), Deserto do Atacama (Chile), Patagônia e Aconcágua (montanha na Argentina).
 
Faço treinos diários em dois turnos, acompanhamento com nutricionista esportiva e em média demoro um ano de treino específico para cada novo desafio, que nesse ano será a Maior Praia do Mundo, do Chuí ao Cassino, 230 quilômetros pela areia sem apoio, em setembro. Vale lembrar que há três anos tenho o Grupo de Corrida Renata Peixoto, com preparações para competições – rústicas, meia maratona, maratona e ultras – e também para quem quer manter a forma e a saúde sem participar de competições. A corrida é minha vida. Faço e trabalho com o que me faz realmente feliz, seja buscando a minha superação ou a dos meus alunos”.
Renata Vidal Peixoto, 37, profissional de educação física e fisioterapeuta
 
 
 
"Eu comecei a correr em 2012 e acabei me rendendo aos benefícios do esporte. Em 2017 comecei a ‘correr de verdade’, como parte de um projeto profissional.Curto desafiar meus limites independentemente de resultados, por isso me dedico às corridas de 21 quilômetros, geralmente uma de rua e uma de montanha. Tenho um treinador que prescreve meus treinos, que acontecem três vezes por semana. Eu também faço pilates e musculação para fortalecimento. Sou adepta da alimentação saudável, ou seja, procuro comer o que me dá mais energia e agride menos o meu corpo. Parei de comer carne, por exemplo.
 
Meu marido (Max Jean Madruga) e eu, todos os anos promovemos a Corrida dos Super Heróis, junto com a Rústica da Unimed, e também participamos das demais corridas do circuito municipal. Nós temos uma equipe de corrida de rua: Hey Peppers! Runners, que compete no circuito de corridas de rua local e também fora da cidade. Somos também professores voluntários no atletismo do projeto social Criança no Esporte, do clube Botafogo”. 
Eliane Pereira da Silveira, 35, empresária e coach
 
 
 
"Entrei nessa em 2012, por incentivo de amigos ultramaratonistas. Participo do Grupo de Corrida Renata Peixoto há dois anos. Conquistei medalhas nas corridas de rua de Cachoeira do Sul nas modalidades 5 km, 7 km e 10 km, troféu Cross Country Ulbra/2017 e Cross Country Parque Witeck em 2017, além de Cross Country Seringa em 2018 e medalha na corrida do Dia da Mulher em Santa Maria.
 
Esse ano participei pela segunda vez na modalidade de trilhas do Desafio Cerro Branco Trail Running, onde conquistei troféu de terceira colocada nos 10 quilômetros. Corri duas meias maratonas de Porto Alegre e uma de Caxias do Sul e participei também da Travessia Torres a Tramandaí de revezamento neste ano, bem como da Summer 48k, onde fiz os 25 quilômetros solo de areia. Meu objetivo agora é treinar para completar os 42 quilômetros da Maratona Internacional de POA de 2020. Juntamente com a corrida pratico exercícios funcionais que ajudam inclusive a evitar lesões. Além de formar grandes amizades, os benefícios são inúmeros. Não tem idade para começar. Hoje não vivo sem”.
 Cleide Santos Silveira, 46, bancária
 
 
"Ingressei nas corridas em 2016 e participo do grupo da Renata Peixoto. Nos preparamos para provas de cross country e corrida de rua. A cada dia vencemos nossos desafios dos treinos. Correr é um esporte que une pessoas – sozinho é mais difícil –, além de trazer benefícios à saúde e ser uma excelente válvula de escape para a correria do cotidiano. É sempre importante cuidar o corpo, a alimentação e a hidratação e dormir bem. Acredito que o esporte seja imprescindível para um futuro com qualidade de vida melhor”.
Denia Alice Brum, 50, contadora 
 
 
"Comecei a correr há alguns anos e acabei me apaixonando. Corro geralmente com uma amiga, e cumprimos uma planilha orientada pelos profissionais de educação física do Centro de Treinamento (CT). Participo das rústicas da cidade e sonho em participar da meia maratona de POA ano que vem. Além de ter oportunidade de conhecer e fazer amizades, tem todos os benefícios que essa modalidade traz para a saúde, como, por exemplo, melhora das funções cardíacas e respiratórias e diminuição de gordura corporal, entre vários outros. A corrida é a minha terapia, é desafiadora, e costumo dizer que esse é o meu momento”.
Janine Seady Horbach, 36, fisioterapeuta
 
 
 
"Uma das minhas últimas conquistas é correr longas distâncias e participar de rústicas. Sempre desejei correr, mas me sentia incapaz e com físico fora de padrão. Hoje percebo que para eu começar bastou mudança de pensamento e atitude. Iniciei na corrida há 10 meses, sem fôlego e resistência para dois minutos de esporte. Hoje percorro cinco quilômetros e nada descreve a sensação maravilhosa de cada distância vencida. Superação!”.
Lena Caetano, 56, repórter
 
 
"Comecei a correr a convite do Centro de Treinamento Funcional (CT) há dois anos. Ganhei medalhas nas rústicas da cidade e atualmente estamos correndo a média de 10 quilômetros. Nossa a meta é chegar aos 20 quilômetros e participar da Meia Maratona de Porto Alegre em 2020. Como preparação, treino semanal e alimentação saudável. Adoro correr, pois me sinto livre, minha energia melhora e me sinto mais disposta. Mas o que tem mais valor é as amizades que criamos com a prática deste esporte maravilhoso”.
Aline Alves da Luz, 30, consultora e acadêmica de Nutrição
 
 
 
“Atividade física é benéfica para qualquer pessoa, porém, a corrida não é para todos. Procure sempre a ajuda de um profissional e tenha cuidado com ‘dicas fitness’ ou treinamentos milagrosos da internet”.
Renata Peixoto !





BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - (51) 3722-9600