linda insta

Reportagens EDIÇÃO 08 - DEZEMBRO 2007

Para não dar azar na azaração


Ver gente paquerando na boate, na rua e até no supermercado já é tão comum que não surpreende mais ninguém

 

Você vem sempre aqui? Te conheço de algum lugar! Frases como essas lhe parecem comuns? Para a maioria, pode ter certeza que sim. Quem nunca presenciou ou viveu um momento de azaração? A cantada é uma das atividades prediletas de homens e mulheres que estão a procura de um par. Antes praticada somente na noite, hoje ela invadiu o cotidiano e já tem gente azarando no supermercado, na fila do banco, no estacionamento da escolinha...  Enfim, não existe mais um lugar definido para a paquera rolar solta. É gente cantando todo mundo, ao vivo, na internet, pelo celular e até no telemarketing. Entretanto, o que dá certo e o que dá errado?

Romance: namoro de Joana Nicola e Lucas Andrade começou com uma paquera e já dura seis anos


Claro que existe diferença, pois tem gente se dando bem e outros colecionando "nãos".
Em uma roda de bate-papo com mulheres de várias faixas etárias que freqüentam a noite cachoeirense, LINDA procurou desvendar alguns segredos sobre a paquera. Cada uma delas serviu de porta-voz do seu grupo de amigas e revelaram que atitudes lhes atraem e quem já perde a chance na hora que abre a boca.  Em geral, não ganha confiança quem chega cantando com palavras vulgares e frases prontas, que de tão batidas já perderam a graça. “Homem que chega com discurso pronto ou repetindo o que ouviu de um amigo ou assistiu em um programa da televisão já assinou sua dispensa na hora da aproximação”, conta uma das entrevistadas.
Já que a opinião do grupo é essa, muitos vão pensar: então a chance de sair vitorioso na conquista é ser romântico. Pelo contrário, homem que chega todo amoroso ou já diz que ama no primeiro ou segundo encontro não inspira confiança e tem grandes chances de ser descartado. Para elas, que afirmam que é assim com a grande maioria das amigas, o homem que já chega bem na fita é o descontraído, aquele que faz brincadeiras e deixa a mulher à vontade para conversar.
“É claro que nada vale como regra geral, e tudo pode mudar dependendo da situação e de quem chega para paquerar. Talvez agora a gente diga que odeia cafajestice, mas um dia chega um, fala uma coisa desse tipo e pode agradar. A preferência não é essa mas não estamos livres de nos encantar pelo príncipe que fala bobagens”, concluem as meninas ao final da conversa. Então, como paquerar não é uma ciência exata, não existe uma fórmula mágica que transforme alguém, de um dia para outro, em um paquerador mestre. Paquerar é um ato comum a todos que procuram um relacionamento, e que se for feito com bom senso pode trazer bons resultados.


 

Sinal verde / sinal vermelho

 

A opinião delas sobre a paquera


 

"Na paquera, acho legal a mulher dar o primeiro passo, mas particularmente não tenho coragem. Ainda existe um pouco de preconceito com a menina que toma a iniciativa. Conversar sobre coisas do cotidiano, sem deixar explicito que está a fim de dele, pode ser uma boa."
Paula Maccari, 17 anos



 

"A receita da boa cantada é um bom papo e nada de pressão, tipo chegar e já quer ir logo beijando. Ser natural e deixar a paquera fluir é essencial. Acho que nesse momento tanto o homem quanto a mulher deve ser autêntico, não querendo parecer o que não é, tipo dizendo que já ficou com tantas, ou tem tal carro."
Cássia Goltz Félix, 23 anos



 


"Uma das coisas que me incomoda muito são homens que saem contando vantagem. Por exemplo: deu um beijo na mulher e sai falando para os amigos que fez e aconteceu. Homem com essa fama não tem vez. A cantada para fazer sucesso tem que ser sutil e o homem ter uma conversa interessante."
Preta Sousa, 39 anos



 

"Homem bagaceiro, que chega chamando a mulher de gostosa, comigo não tem chance. Não existe jeito de chegar pior do que esse e a mulher já vê na hora que ele não tem interesse nenhum em uma coisa mais séria, a idéia é só agarrar mais uma. Ele tem que chegar conversando e não querendo beijar logo."
Eliza Trevisan Pelzer, 20 anos



 

"Acho horrível homem que manda recado por amigo dizendo que tá a fim. Isso demonstra insegurança e falta de atitude. Ignoro também os cara-de-pau, homens que chegam com piadinhas bagaceiras ou com cantadas vulgares. Conversar e demonstrar interesse pelo o que a mulher tem para falar mostra que quer uma coisa mais séria e não tá a fim só de ficar e cair fora."
Bruna Barreto, 19 anos



Escola da sedução

 

Para ensinar os homens a estar na mesma freqüência das mulheres formou-se na Argentina a primeira escola de sedução para homens de América latina, a Sedução Secreta. O negócio surgiu quando os seus fundadores perceberam que com o sexo oposto dava tudo certo e decidiram ajudar seus companheiros a ingressar no mundo da paquera. Em São Paulo uma empresa decidiu oferecer um curso nesses moldes. As aulas saem por R$ 400,00. A maioria dos alunos que freqüentam o curso têm entre 20 e 30 anos.

 

Confira o que dizem os especialistas sobre o que dá certo na hora da paquera:


. Não descuide do visual
. Não dizer as mesmas frases sempre
. Seja engraçado
. Fale corretamente
. Rir sim, gargalhadas não
. Escolha bem os lugares que freqüenta. É importante ver se no local existem homens ou mulheres que se encaixam no seu perfil
. Não falar bem pertinho sem ter intimidade
. Jamais baixar a auto-estima da paquera
. Observe bem o “alvo” antes de agir, assim se evita chegar em quem está acompanhado.
. Depois de engatar a conversa, procure tocar na sua paquera. Os toques devem começar pelo braço e cintura até partir para o pescoço e o beijo.

 

Depois dos 40


Desde sempre se paquera. Mas não há como negar que as cantadas estão cada vez mais explícitas. Os adolescentes já entraram nesse ritmo, mas como fica a turma dos recém-separados, com seus mais de 40 anos, que começa a sair de novo em busca de relacionamento e precisa dar um upgrade no repertório de cantadas? Nesse caso vai da personalidade de cada um. Alguns escolhem se adaptar à nova onda e também sair paquerando todo mundo. Respeitar seu instinto e não querer parecer o que não é, é o primeiro passo para não se dar mal na paquera.


Paquera online


A nova geração tem uma grande vantagem sob quem paquerava antes da popularização da internet. Paquerar através de sites de relacionamento ou em salas virtuais de bate-papo é uma saída para quem é tímido e não tem coragem de declarar que está a fim ao vivo. Só é importante tomar cuidado para não ficar exposto, afinal existe muita gente se fazendo passar pelo que não é na internet. É claro que existem muitos sites sérios e muitos relacionamentos começam com uma simples troca de mensagens.

 

Os segredos da paquera

 

Homens revelam o que dá certo na hora da conquista





“Não tem uma regra, cada situação pede uma atitude. O que eu vejo que nunca dá certo é já chegar beijando a menina, cena que se vê muito em boates. Além de levar um fora, o corte é ainda mais vergonhoso. Em qualquer lugar dá para paquerar, até mesmo na rua ou em uma loja, mas o importante antes de chegar na menina é observar se teve pelo menos um troca de olhares ou um sinal da parte dela mostrando que também está a fim."
Vinícius Cruz, 19 anos



 

"Acho que o homem deve ir direto ao assunto sem fazer muitos rodeios e dizer logo que está a fim, por que se for levar um fora, já leva na hora. Penso assim até por que, em geral, as meninas não dão conversa para quem não conhecem, a não ser que seja apresentado por um amigo. Mulher que se faz muito de difícil não tem vez, se tá a fim fala, se não tá deixa o homem partir para outra. Não vejo problema nenhum da menina chegar, acho que hoje isso é natural e não deixaria de levá-la a sério se isso acontecesse."
Gabriel Félix, 29 anos



 

"Para dar certo o homem tem que chegar com bom humor e educação, puxando uma conversa descontraída. Dessa forma, mesmo se a mulher não tá a fim ela não será grosseira e nem eu que posso querer puxar conversa em outra ocasião. Se a mulher não corresponder e ainda for mal educada aí sou eu que já saio fora e não procuro mais. Não tem interesse que resista à falta de respeito. O que nunca dá certo é decorar cantada de cartilha."
Clauber Macler Lemos, 30 anos



 

"Em primeiro lugar não adianta querer aparentar o que não é. Vejo muito os homens chegando já querendo beijar, sem nem conversar e acho que isso não cola mais. O homem tem que inspirar confiança, deixar a mulher segura, se não a chance de levar um corte é muito grande. Acima de tudo tem que ter jeito na hora de falar, ninguém agüenta falta de educação, grosseria e gente que acha que é superior. Ser sincero e falar coisas que deixem a auto-estima da mulher lá em cima também é ponto para o homem."
Ricardo Trindade, 20 anos



 

 


“O papel de conquistar não pode ser só do homem. Falta muita atitude para as mulheres, que acham que ainda existe muito preconceito com a mulher que toma a iniciativa. Admiro quem faz isso e acho que elas devem chegar sim, até porque já que assumiram um lugar de igualdade na sociedade. Não acho que os homens se sintam obrigados a ficar com uma menina que não está a fim só porque ela mostrou o interesse. Assim como ela não tem obrigação de fazer o que não quer a gente também não tem.”
Diego Fogliatto, 27 anos






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 134 - abril de 2019

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601