linda insta

Reportagens EDIÇÃO 05 - SETEMBRO/2007

Focinhos educados


Cachorro também precisa aprender bons modos para não envergonhar o dono na frente das visitas ou dos vizinhos


Um cão pode ser motivo de orgulho e trazer uma imensa alegria ou pode ser sinônimo de incomodações e muita dor de cabeça quando não é adestrado para obedecer as ordens do seu dono. Muitas pessoas adoram cachorros, principalmente quando são pequenos, fofos e cheirosos, mas não se pode esquecer que nem todo mundo pensa assim e, por isso, esses animaizinhos precisam de limites. Enquanto existem mascotes obedientes, há aqueles que sujam a casa, pulam nas pessoas, latem à toa e às vezes a noite toda, mordem crianças e apavoram os vizinhos.
Qual a diferença? Os comportados foram ensinados desde filhotes a obedecer os comandos, mesmo os mais simples como "senta", "vai" ou "vem" dos seus donos. De acordo com o veterinário Marcelo Loreto, 45 anos de idade e 23 de profissão, quando o cachorro é educado desde cedo, atividades simples como passear deixam de ser um problema. Para garantir um comportamento adequado não é necessário gastar com adestradores profissionais, já que muitos donos não querem ou não podem contratá-los.

Marcelo: poodle é a raça mais fácil para se adestrar


Marcelo ensina uma técnica fácil e que sempre dá resultado. “Os cachorros aprendem principalmente por repetição. Um jeito fácil de ensinar os cães de qualquer idade é recompensá-lo, por exemplo, com um biscoito toda a vez que faz alguma coisa certa e não dar o alimento quando não obedece”, ensina o veterinário. O comportamento de um cão também depende de vários fatores. Um deles é o temperamento típico da raça. Marcelo afirma que os poodles são os animais mais fáceis de ensinar. Outro fator é o ambiente do cão: o lugar em que vive, o comportamento do responsável e de quem convive com ele. Até as pessoas que passam perto do lugar aonde o cachorro fica o maior tempo influenciam seu comportamento. Exemplo: um cão não gosta de crianças. Talvez ele more perto de uma escola e as crianças costumam assustá-lo ou até jogar pedras nele.

 

Regras de convivência

. Se você mora em edifício, evite transitar com seu bichinho pelas áreas sociais, especialmente pelo elevador social

. O seu cãozinho não é muito amigável, deixe-o em um lugar reservado da casa quando for receber visitas. É muito desagradável ser recebido com latidos de um cão, por menor que ele seja

. Os cães exageram nos latidos por duas razões: solidão e excesso de estímulos, como quando está vendo pelo portão ou pela sacada pessoas ou outros cães. No primeiro caso, é necessário arranjar tempo ou alguém para passear com ele pelo menos duas vezes por dia. No segundo, uma boa alternativa é colocar uma barreira visual para terminar com a fonte de latidos

. Respeite o direito de quem não os quer por perto cheirando e lambendo pernas e roupas

. Evite levar cães a shoppings, lanchonetes e lojas. Jamais o leve à casa de alguém sem pedir permissão, mesmo que a casa tenha outros cães

. Ensine a seu animal o lugar de fazer suas necessidades e mantenha essa área da casa sempre limpa

. Cuide da higiene de seu bichinho

. Quando sair para passear mantenha seu cão na coleira e se parar para falar com um conhecido, rédea curta, evitando que ele morda, cheire ou fique babando no seu amigo






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 136 - junho de 2019

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601