Diário de viagem Edição 73 - setembro de 2013

VINÍCIUS NO MÉXICO


IDA: agosto/2006
VOLTA: julho/2007

 

Foi através de um intercâmbio do Rotary que o empresário Vinícius Ache Ribeiro, 23, estudou por um ano em Saltillo, no México, e viveu experiências inesquecíveis e um tanto engraçadas. Saltillo, onde ele morou, é uma cidade histórica localizada no norte do país e fica no deserto.

 

 

 

Curtindo as águas cristalinas de Cancun

 

 

 





Pirâmide perto de Guatemala



Momento inesquecível de contato com a natureza



Experiência na neve



Divisa entre México e Estados Unidos




Mexicanos
São alegres, conservadores e receptivos. Gostam dos brasileiros e têm muitas curiosidades sobre o nosso país, mas pensam que moramos no meio do mato, que existem casas em árvores e que vivemos junto com os animais.

Alimentação 
Tudo tem muita pimenta e até acostumar é difícil. Com o tempo, comecei a gostar. Eles comem muita tortilla, que é como uma panqueca, feita com água, farinha e manteiga.

Curiosidades 
No Dia da Independência do México é feriado e todos saem para a rua e bebem muito. Festejam também o Dia dos Mortos, montando um cenário com os pertences e coisas favoritas que o familiar ou amigo que morreu gostava.

Cultura  
Para namorar alguma menina no México, é preciso pedir a mão dela para os pais. Lá, a gurizada faz serenata para as meninas, abre a porta do carro para elas, são supereducados.

Saia justa
Uma vez me perdi de ônibus e fiquei sem dinheiro para ir para casa. Caminhando na rua, bati a cabeça em uma passarela baixa e sangrou. Achei um táxi e entrei. Tentei explicar que bati minha cabeça na quina da escada da passarela para o taxista e que precisava voltar para casa. Expliquei que morava perto da Polícia e que eu não tinha dinheiro, mas que quando chegasse à casa eu ia lá buscar e pagar ele. Resultado: o taxista entendeu que eu tinha sido assaltado e apanhei, que fiquei sem dinheiro e queria ir na Polícia.

Balada 
Um lugar incrível que conheci foi uma boate instalada dentro de uma antiga mina, em Zacatecas. Entramos de trem e percorremos aproximadamente 10 minutos até chegar lá, pois a boate fica em baixo da terra.

Idioma  
A escola que estudei me deu todo suporte para aprender o espanhol. As primeiras palavras foram os palavrões. Meus colegas fizeram até uma lista para mim. Uma vez me sacanearam mandando eu falar algo para a professora. Era um nome feio, mas eu não sabia. A aula inteira caiu na gargalhada.

Viagens 
Sugiro conhecer Cancun e as ilhas que tem pelo Caribe.
 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601