linda insta

Do amor ao sexo Edição 125 - junho de 2018

Pare de exigir tanto do outro

» Izabel Eilert (izabeleilert@terra.com.br)/psicóloga e terapeuta sexual


Li um dia desses uma frase que infelizmente não sei o autor, e dizia o seguinte: “Não é o amor que sustenta um relacionamento, é o modo de se relacionar que sustenta o amor”. Essa frase traz à tona uma questão frequente nos relacionamentos, que é a de imaginar que o amor por si só é capaz de sustentar o peso dos anos de um relacionamento e os infinitos outros problemas que inevitavelmente acontecerão.

Ledo engano. É necessário sabedoria para permitir que o amor se mantenha dentro desse relacionamento.
Em todos esses anos de prática terapêutica em que trabalho com casais, percebo que as pessoas parecem complicar bastante o dia a dia, projetando as suas frustrações e idealizações no parceiro, como se o outro tivesse de ser responsável pela sua felicidade. Mas o amor precisa ser alimentado e nutrido para que consiga se manter dentro do relacionamento, como disse a frase acima citada.

Como que você está alimentando o seu amor para que ele exista e mantenha o seu relacionamento sadio e vivo? Com cobranças, mau humor e às vezes até gritos ele não será mantido...

Para manter um relacionamento não se pode querer que o outro mude. É preciso que a pessoa comece por si mesma a mudança para ver o companheiro de uma outra maneira. E deixar de cobrar, mas não porque você não liga mais e sim porque você entende que o outro terá o seu tempo de ver, de perceber e de mudar, e este é certamente um tempo diferente do seu.

Ofereça o alimento para o seu relacionamento e não se importe quanto o outro irá dar.

Um relacionamento, bom ou ruim, é feito por dois. E você só poderá ser responsável pela sua metade, tanto para o que dá certo quanto pelo que der errado. As mudanças que você quer só poderão ser feitas por você. O outro só fará o que a consciência dele alcançar e no tempo dele. Faça a sua parte para ter um relacionamento saudável.

Claro que parece ser muito mais fácil olhar o que o outro está fazendo ou deixando de fazer, o quanto ele te faz infeliz, de como você é sacrificado... Mas nunca esqueça que em um relacionamento existem os dois, e estes dois são igualmente responsáveis por essa relação ser boa ou ruim, funcionar ou não. Não existe vítima e algoz em uma relação conjugal. Sempre existe uma complementaridade, onde um dá ao outro o que este necessita e vice-versa. Mesmo que em muitos casos seja uma necessidade inconsciente, esta complementaridade do casal pode ser mais ou menos sadia. Mas sempre é uma complementaridade.

Então, ao invés de se queixar do seu parceiro, se pergunte por que você necessita daquela situação? O que você pode fazer para mudar aquela situação que te desagrada? Comece a mudar por você e pare de cobrar do outro. Cada cônjuge tem em seu poder uma relação de convencimento e conquista.

Se está dando certo é porque você contribuiu a metade para chegar a este ponto, e se está dando errado, da mesma forma você também contribuiu para o erro. Muitas vezes até sem ter consciência, mas tenha certeza de que metade do momento tenso ou de plena felicidade, foi você que contribuiu para chegar lá. Pode ser até não fazendo nada (isto também é uma contribuição...), então, se quiser ter um relacionamento mais saudável emocionalmente faça a sua parte. Seja gentil e não cobrador, cuide do seu relacionamento, porque ele sozinho não terá como sobreviver.

Cada um fazendo sua parte, respeitando a relação, sendo gentil, não deixando de pensar um no outro, cuidando para que o clima de amorosidade se mantenha entre o casal, fazendo a sua parte para que o desejo íntimo exista. Enfim, cada um cuidando da sua parte do relacionamento fará com que a relação dê lugar para o amor habitar.



Psicóloga e terapeuta sexual






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601