Do amor ao sexo Edição 117 - setembro de 2017

Degavar se vai ao LONGE


Essa é uma máxima que vale muito para o sexo. E é impressionante a tendência de os casais não darem o tempo que necessita cada fase da excitação. Estar focado no que está fazendo, percebendo as sensações daquele momento, facilita muito para que o cérebro se conecte às sensações eróticas e mande sangue para a pelve. Quanto mais estiver conectado nas sensações e com pensamentos erotizados, maior será a chance de se envolver no clima de tesão.

Muitas vezes a preocupação de entrar no clima - se vai ficar com ereção ou não, se vai ejacular rápido ou não, se conseguirá ter orgasmo - faz com que a mente não fique envolvida no erotismo e sim na preocupação. Por isso, ir devagar, sem pressa, se envolvendo no erotismo, facilita muito para chegar a uma excitação maior e consequentemente ao orgasmo.

É importante lembrar que o ritmo de excitação e envolvimento sexual é extremamente individual.
A forma e o quanto cada um vai necessitar para se envolver no clima erótico também são muito individuais. Ou seja, cada um deverá estar conectado com as suas sensações, com o tempo que precisa estar envolvido naquela sensação, mostrando de alguma forma para o/a parceiro/a se necessitar de mais tempo em cada momento, cada etapa, sinalizando quanto precisa para se conectar com as emoções e sensações do seu corpo.

Se a pessoa ficar com o pensamento no outro, ela se desconectará das suas sensações, o que poderá dificultar estar no clima erótico.

Estar com atenção plena no que estiver fazendo durante as preliminares facilitará o envolvimento nas sensações e consequentemente na entrega para o sexo.

Isto pode parecer o óbvio, mas principalmente para aqueles casais que já estão há bastante tempo juntos, com uma rotina estabelecida, muitas vezes entrar para o clima erótico não é algo tão fácil e pode acontecer de começarem a abreviar as etapas, ficando com um sexo pobre, rápido, pouco prazeroso.

Também é comum depois de algum episódio de fracasso no desempenho sexual a preocupação começar a aparecer.

E quando a preocupação aparece, ela passa a tomar conta do espaço mental, diminuindo a sensação de entrega e relaxamento, dificultando, consequentemente, a excitação. Por isso que o grande exercício para que episódios de fracasso não se repitam é tirar o compromisso, a obrigação, ir devagar, investindo nas sensações, focando em cada momento, sem pressa, para que ansiedade possa baixar, dando espaço para o erotismo e o envolvimento no mesmo acontecer.

Devagar se vai longe, e no sexo, devagar se vai em busca do aumento da excitação e do aproveitamento do que dois corpos podem dar um para o outro. Aqui, literalmente, a pressa é inimiga da perfeição.


Psicóloga e terapeuta sexual
 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601