Do amor ao sexo Edição 77 - janeiro e fevereiro de 2014

Se um não quer, DOIS TRANSAM...

» Izabel Eilert (izabeleilert@terra.com.br)


Aquela máxima de que, se um não quer, dois não fazem não vale para o sexo. Muitas relações iniciam sem os dois estarem na mesma sintonia de desejo e vontade. Mas então por que rola? É submissão? Vontade de agradar? Compromisso? O que faz com que alguém acabe transando sem ter desejo?

A falta de desejo é muito mais comum entre as mulheres e, segundo a maioria das pesquisas, atinge um número significativo delas. Já os homens têm um desejo muito mais fácil de ser acionado, principalmente pelo estímulo visual, que é um ponto forte para eles, além de pensarem em sexo muitas vezes durante o dia, o que faz com que o desejo seja sempre estimulado.

Mas o que dá o “start” para a hora do sexo? Não estou falando daquela  época em que o casal está apaixonado (ali, toda hora é hora), mas do casal que tem sexo no seu dia a dia. Com a rotina, como ele acontece? Existem casais que têm um dia fixo para o sexo, o que poderia até chocar alguns, mas isso funciona! Parece muito mecânico, mas acaba deixando o casal descompromissado de ter que ficar criando clima e faz com que o casal não se afaste por muito tempo da intimidade.

Tem aqueles que têm um “código” para o dia da transa, tipo colocar determinada calcinha ou ir mais cedo para cama. É um sinal de “quero transar hoje” ou “quero você”, o que também funciona. Há também os que falam abertamente, dizendo “vai ter jogo hoje?”, “vamos transar?” ou só um “vamos?”. Pode até parecer um tanto comercial, mas deixam claro o seu desejo para o outro. Sem falar daqueles que ainda acreditam que “homem precisa” ou “se não tiver em casa, vai procurar fora”.

Mas o que fica claro é que o desejo de ir para o sexo, entre o casal, não é algo que surja, que saia do nada. Vem de algum lugar, e este lugar (o imaginário) de um nem sempre é igual ao do outro. Os amantes e os apaixonados estão com este imaginário geralmente na mesma sintonia, mas os casais que estão há mais tempo juntos, menos apaixonados (não estou falando que não se gostam, e sim que a fase da paixão avassaladora passou), tendem a ter um apetite sexual com ritmos distintos. Então, achar um modo de manter a vida sexual com ritmo equilibrado é fundamental!

Claro que não querer tanto naquela hora como o outro está, mas ser envolvido(a) e acabar curtindo, pode ser bem legal. O que não pode ser tolerado é o sexo forçado, sem desejo algum, apenas para o prazer do outro. Isso jamais! Tudo no sexo tem que ser bom para os dois! Desde um beijo até como e onde. Não ter o mesmo desejo, mas acabar gostando, é uma coisa, não querer e ter que fazer é outra.

Se o desejo de um for muito diferente do outro, melhor dizer e até propor que fique para outro momento ou fazer algo só para o parceiro que está com desejo, como, por exemplo, uma masturbação. É melhor do que se submeter a algo que não se quer. No entanto, verifique se o desejo não pode surgir. Permita-se sentir se naquele momento, que parecia ser só o despertar do desejo do outro, não pode se transformar em algo bem bom também para você. Quem sabe?



 

"Os  casais que estão há mais tempo juntos, menos apaixonados, tendem a ter um apetite sexual com ritmos distintos."





* Izabel é psicóloga e terapeuta sexual






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601