Do amor ao sexo Edição 73 - setembro de 2013

Ah... os seios!

» Izabel Eilert (izabeleilert@terra.com.br)


Desde o início dos tempos, os homens têm pintado, esculpido, fotografado, cantado em poesias e venerado os seios das mulheres, sem sombra de dúvidas, o mais lindo e desejado ornamento do corpo feminino. A exibição excessiva, nos dias de hoje, dos seios desnudos não deserotizou a beleza e o encanto por eles. Talvez o nível de curiosidade tenha se modificado, mas não o encanto que eles exercem sobre todos nós.

Esta zona erógena carrega a imagem do feminino, da maternidade, do primeiro contato de amor que vivemos fisicamente quando sugamos o seio da mãe. Desde então, ficamos “presos” a eles pelo resto de nossas vidas. Passam a fazer parte do imaginário do amor e do desejo erótico. Os homens mantêm um fascínio e desejo em tocá-los, beijá-los e em tê-los de alguma forma. Já as mulheres têm enorme prazer neles, nos jogos amorosos, quando são tocados, acariciados, sugados e estimulados.

Alguns seios são insensíveis, mas a grande maioria tem sensibilidade, podendo até chegarem ao orgasmo com a estimulação. Também há casos de mulheres atingirem o orgasmo ao amamentarem seus bebês, o que pode deixar a mulher constrangida, já que a amamentação não é um ato sexual, mas o estímulo é percebido pelo cérebro como muito prazeroso. É uma região erógena extremamente sensível, podendo-se comparar aos testículos masculinos, no que tange ao temor de serem agredidos bruscamente.

Como é o mesmo local da amamentação, fica associado com delicadeza, amor e carinho. Toda a região dos seios pode dar muito prazer e a mulher deve se permitir descobrir onde gosta mais e mostrar ao parceiro. Também a intensidade do estímulo deve ser observada, pois toques e estímulos mais fortes só são bem-vindos quando a mulher já tiver atingido níveis de excitação elevados. Antes disso, geralmente, é desprazeroso.

Conhecer a sua mama é fundamental para a mulher não só no aspecto erótico, como também na percepção da sua anatomia. Quanto mais conhecê-la, mais precocemente poderá perceber qualquer alteração que possa vir a ocorrer, como “bolinhas”, fissuras, sangramentos nos mamilos, etc. Isso é a verdadeira prevenção, e ela depende muito de nós, mulheres.

A estimulação por parte do homem, durante a amamentação, não tem problema algum, apenas poderá produzir leite, e isso sim causar alguma interferência no ato sexual. Também homens que ficam tomando leite no seio da parceira ficam numa posição muito regressiva, o que não é nada interessante para a relação do casal adulto. Então, por mais tentador que seja, evite esta regressão. Seios com leite são para os bebês. Seios sem leite são para os homens.

As mulheres estão com um fascínio, mais do que nunca, pelo seio ideal. Notam-se meninas com menos de 18 anos buscando cirurgias plásticas em busca de um seio perfeito, quase como se tivesse um padrão de medida e formato que elas tivessem de seguir. Claro que a autoestima melhora muito quando seios que eram motivo de infelicidade e vergonha se transformam em seios atrativos. Isso muda muitas vezes a vida sexual de muitas mulheres, mas falo dos exageros.

Quando os seios são usados para a sedução, eles são simplesmente lindos e encantam a todos. Mas a vulgaridade choca na maioria das vezes e, quando envolve essa parte do corpo, mais ainda, quase como fossem objetos sagrados: usando com delicadeza, com erotismo e feminilidade, eles encantam sempre.  Não tem quem resista!




"As mulheres estão com um fascínio, mais do que nunca, pelo seio ideal"



* Izabel é psicóloga e terapeuta sexual

 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601