Do amor ao sexo Edição 63 - outubro de 2012

Sexo no primeiro encontro

» Izabel Eilert (izabeleilert@terra.com.br)


Esta é uma dúvida que ronda a cabeça principalmente das mulheres: qual o momento de ir para a cama com ele? No primeiro encontro? Só depois do terceiro, como chegam a dizer alguns autores em livros que tratam do assunto... Será que existe uma regra?

Nas gerações anteriores, até há bem pouco tempo, existiam padrões bem definidos sobre qual o momento em que o sexo iria existir entre um casal. Já foi só após o casamento, tolerado após um noivado sério, entre casais que tinham uma “amizade colorida” (sexo sem compromisso), enfim, parece que existia um padrão que hoje não se apresenta de forma clara.

No perfil da nossa sociedade moderna parece existir uma ideia de que as relações são rápidas, descartáveis e superficiais, como se as pessoas não quisessem mais se comprometer com relações sérias e estáveis. Mas, ao mesmo tempo, nunca se casou e descasou tanto como agora... Ou seja, parece que o difícil, nos nossos dias, são as pessoas não mais tolerarem as limitações e frustrações que as relações afetivo/amorosas/sexuais estáveis possam gerar.

Penso que devemos analisar o quanto, ultimamente, as pessoas estão tendo cada vez mais relacionamentos superficiais – esta é uma primeira questão.

Em segundo, o quanto as pessoas estão ávidas por encontros amorosos/afetivos/sexuais, veja-se as redes sociais e chats de relacionamentos, cada vez mais em evidência e procurados. Mas como isso é possível? Não querem mais compromissos, apenas relações rápidas e descartáveis (onde caberia perfeitamente o sexo casual) e ao mesmo tempo querem se sentir amadas por alguém.

Se você estiver querendo um relacionamento rápido, invista superficialmente, mas consciente da sua opção. Neste caso, cabe iniciar pelo sexo, onde a maior intimidade não seria a emocional e sim a do físico (apenas o prazer momentâneo e passageiro). O que ocorre quando se inicia pelo sexual é que este prazer geralmente toma conta e não deixa espaço para percepções afetivas mais profundas. Quando acaba também não tem mais nada, ou tem bem pouco, que não chega ser o suficiente para continuar - só para se guardar nas lembranças...

Claro que existem casais que tiveram sexo no primeiro encontro e continuaram juntos, mas não é o que acontece com a maioria.

Se estiver querendo um relacionamento estável, então o investimento deverá ser mais denso, de conhecimento um do outro, das emoções, das histórias que habitam o mundo de cada um, das vivências de ambos e também do mundo sexual deste casal. Mas vejam que o sexo passa a fazer parte de um conhecimento, da descoberta um do outro. É muito maior a entrega do que simplesmente oferecer o corpo um ao outro – intimidade amorosa é muito mais do que uma relação física.

A questão então não é mais quando ir para a cama com o parceiro pela primeira vez, mas se existe intimidade emocional suficiente com ele para este encontro acontecer. O “príncipe encantado” só dura uma página na estória (uma noite?). Relacionamentos estáveis requerem muito mais do que apenas uma ou algumas noites de prazer... Requerem ver o outro por inteiro e não idealizado e também saber que não somos as “princesas” da estória, mas que podemos ser ótimas!




"O que ocorre quando se inicia pelo sexual é que este prazer geralmente toma conta e não deixa espaço para percepções afetivas mais profundas."



* Izabel é psicóloga e terapeuta sexual





BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601