Do amor ao sexo Edição 53 - novembro de 2011

“E viveram felizes para sempre...” Onde está a receita?

» Izabel Eilert (izabeleilert@terra.com.br)


Quando um casal casa espera viver uma vida no mínimo diferente de tudo que viu como referência ao seu redor e tem quase absoluta certeza de que eles terão a fórmula do final da história perfeita: “viveram felizes para sempre”. Mas não estamos preparados para a trajetória da vida a dois. Ela requer inúmeras habilidades, que vão desde as diferenças de ritmo sexual até aprender a lidar com dinheiro, poder, espaços, gostos, famílias de origem e depois os filhos. São inúmeras questões a serem administradas entre o casal. E estas questões dão trabalho! Demanda esforço, principalmente emocional!
Quando o casal faz um contrato (casamento) com vinte e poucos anos, o que eles percebem, querem e se satisfazem é muito diferente de quando estão com quarenta e tantos anos e quando tem sessenta e tantos então... As questões vão se modificando, os desejos também, a experiência de cada um, enfim, o que servia antes não é mais o mesmo agora. E os ca-sais acham que não se deve cuidar deste desgaste. Geralmente chegam aos consultórios quando já estão com as patologias instaladas (claro que isso ajuda - antes tarde do que nunca), mas por que não ir renovando, reinventando, ventilando esta relação? Isso seria muito mais saudável.


Contratos se renovam!

Na questão sexual isso deve ser algo levado com muita leveza entre o casal, pois vai acompanhá-los por toda a união. Então a melhor forma de se lidar com esta transformação é falando! Mas falar de sexo, ao contrário do que muitos imaginam, é na maioria das vezes, difícil para um casal. Então, a tendência é de as dificuldades irem se instalando, os lixinhos sendo guardados nos cantos e isso fatalmente levará ao fracasso das relações. Aparecem então as traições, as baixas de interesse sexual, desajustes na área sexual que vem em detrimento da falta de maturidade deste casal.



Casamento se cuida!
Sexo se cuida! E como?

Renovando as intimidades, seduzindo a/o parceira (o) com pequenos gestos, mantendo o jogo sexual (que vem antes dos genitais), quebrando a rotina do casal no dia-a-dia e também sexual (pode ser até trocar o lado da cama na hora do sexo), falar fantasias um ao outro (sem esquecer que fantasias ficam no imaginário – senão seria realidade), enfim, renovar! Renove seu casamento, convide-o para um jantar, coloque uma roupa mais provocante para ele, elogie ela, beijem-se na boca (nada de Selinho da Hebe), beijo de verdade, daqueles que davam no início do namoro, falem amenidades, deixem a relação mais leve.
Tudo isso facilita irem para a intimidade...e dali fica mais fácil para o casal se reconectar com a sua essência amorosa, que foi o que os uniu. Na minha opinião o que faltou na frase  “e viveram felizes para sempre” é :“porque cuidaram do casamento deles”!


* Izabel é psicóloga e terapeuta sexual








BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601