linda insta

Expresso Edição 121 - janeiro e fevereiro de 2018

Túnel do tempo


A empresária e promotora de vendas DANIELA VELLOZO PADILHA, 46, é proprietária das lojas Pink Flamingos, Pé no Chão e Mundo dos Aromas e sócia-proprietária da doçaria e café Patrícia Goedert, empreendimentos do Orlando Plaza Shopping. Também atua como promotora na rede de supermercados Tischler representando a empresa Mili. Natural de Jaguari, Daniela fixou moradia em Cachoeira há 36 anos. É esposa do empresário Paulo Müller Tischler, 57, e mãe de Jessica Padilha Siqueira, 26, advogada, e Pablo Padilha Siqueira, 22, cineasta e administrador da loja Pink Flamingos.





Daniela hoje

 

 

 

Com 9 meses



Aos 10 anos


  
Com seu filho canino Duck, aos 41, no Natal de 2012



Família reunida: Daniela, aos 45, junto de Paulo e dos filhos Jessica e Pablo






Por onde ANDA Jeferson Silveira


Há quatro anos, Jeferson Silveira de Vargas, 31, decidiu abandonar a carreira de músico para se dedicar à área do empreendedorismo digital em Muriaé, município de Minas Gerais onde fixou residência. “Resolvi pôr em prática o conhecimento que acumulei durante um ano e meio com muita leitura (os funcionários da Biblioteca Municipal que o saiba, risos), palestras, eventos e profissionais do setor. Apesar de ser cantor e muitos da cidade me conhecerem através da música, percebi que o empreendedorismo me possibilitaria ajudar não somente a mim como a outras pessoas, e isso me motiva”, relata ele, que atua também como web designer, com dois anos e meio de atuação. Irmão da modelo Tay Vargas, chegou a residir em Porto Alegre e São Leopoldo, onde trabalhou como modelo, e, mais tarde, no ramo digital em Eugenópolis (MG). “Tive muitas dificuldades, principalmente no início, mas dei a volta por cima. Me considero um vencedor! Encontrei o amor da minha vida, hoje estou casado”, conta Jeferson, que guarda boas recordações de sua terra natal. “Cachoeira é a cidade do meu coração. A última vez que fui foi na virada do ano em 2016, mas pretendo ir mais seguido”, diz com saudades de seus pais e parentes que aqui residem.




 

 

 

 

 

 

MEUS ENDEREÇOS

ANA PAULA PEREIRA

36, empresária

Gastronomia: sou fã de comida japonesa. Na cidade, frequento o Yakusoku Cozinha Oriental. Gosto muito do El Fogon e do Caserna Restaurante e Choperia também
Moda: minha loja preferida e que eu gosto de comprar é a Moda Livre
Viagem: gosto muito do Uruguai, em especial Colonia del Sacramento. Aqui no Sul, prefiro subir a Serra e visitar as belezas de Gramado e Canela
Lazer: costumo me reunir com minhas amigas uma vez por semana para pôr o papo em dia, beber um bom vinho ou um espumante no PerTutti, El Fogon ou Yakusoku
Descanso: nas horas de descanso, gosto de tomar um chimarrão na Pracinha do Soares e no Parque da Romaria, além de passear de bicicleta pela cidade e arredores

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pergunte ao ESPECIALISTA

Júlia Carazza Kessler

Médica, 32 anos, especialista em clínica médica e medicina hospitalar com sete anos de formação

Qual a importância da humanização hospitalar?
“O atendimento hospitalar humanizado tem dois grandes pilares: o cuidado global e a empatia. O primeiro se refere a abordar todos os aspectos físicos e psicológicos do paciente e o segundo a colocar-se no lugar do doente, abdicando de julgamentos, para tentar compreender os sentimentos e emoções que ele está vivenciando. Apesar de ser tecnicamente difícil medir o impacto que o cuidado humanizado gera em termos de aliviar e acelerar a resolução da patologia física do doente, os estudos técnicos têm demonstrado amplamente o aumento da satisfação e o bem-estar dos pacientes e profissionais envolvidos quando aplicada tal forma de assistência. Hoje, vemos uma grande insatisfação da população com o atendimento prestado nos serviços de saúde. A importância da humanização vem ao encontro disto com o objetivo de melhorar o acolhimento, a comunicação, a confiança e, enfim, a satisfação daquele que é o centro da nossa assistência: o paciente”.






Capricórnio
De 22/12 a 21/01


Jéssica Scheffel Kemel

21, acadêmica de Enfermagem
Nascida em 16/01/1996


“Capricórnio é representado por uma cabra, pois é um animal seguro de si e muito ágil. É considerado o signo mais sério do zodíaco. As pessoas de capricórnio tendem a ser mais independentes, realistas, e não há nada mais importante para os capricornianos do que a família, o que faz com que eu me identifique bastante com o signo. Alguns lugares dizem que capricornianos são pessimistas, sendo essa uma característica do signo que não combina muito comigo”.
 






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 127 - agosto de 2018

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601