linda insta

Reportagens Edição 126 - julho de 2018

Fui embora, MAS VOLTEI


Cachoeirenses que optaram por investir na cidade onde moram

“Eu voltei agora pra ficar. Porque aqui, aqui é meu lugar”. O trecho da canção O Portão, de Roberto Carlos, se encaixa perfeitamente com o provérbio popular: “O bom filho a casa torna”. Ambos referem-se a uma determinada pessoa que foi embora, mas decidiu voltar. Afinal de contas, não importa onde você está, ou quão longe pode ir, seu lar é onde seu coração está. Esse pensamento descreve as histórias de três mulheres cachoeirenses que saíram da cidade em busca de estudo e experiência, mas decidiram retornar para tocarem suas vidas e negócios aqui. Quem ganha é Cachoeira. Unindo satisfação pessoal e rentabilidade, elas lideram empresas de sucesso e que contribuem para o crescimento de nosso município.


NOVA APOSTA EM CACHOEIRA

Sócia-proprietária das lojas Phoenix Acessórios e Butique de Capas, SANDRA CRISTINA NUNES, 45, pedagoga de formação, atua no ramo do empreendedorismo no atacado de produtos e suprimentos tecnológicos há 12 anos. 
Há 24 anos, Sandra saiu de Cachoeira em busca de oportunidades de trabalho e estudo, mas, em 2016, decidiu retornar à sua terra natal. Ela que teve a primeira experiência como empreendedora com uma loja de confecção de roupas em Porto Alegre, viu a oportunidade de apostar em um nicho de mercado inovador. Assim, inaugurou a rede atacadista de acessórios para celulares e tablets, ao lado do esposo e sócio, Luís Alberto Santana, 39, contador e administrador. Com abrangência em 43 municípios do Sul, como em Porto Alegre e região metropolitana, Gramado, Três Coroas, Portão, Monte Negro e Triunfo, e Santa Catarina.

EM RITMO DE CRESCIMENTO –
A empresa, que abriu a primeira loja há quase dois anos em Cachoeira, já possui três unidades. “A Phoenix Acessórios está em plena expansão. Nosso diferencial é a administração em conjunto de todas as etapas do processo”, diz Sandra.

 

 

“O que me deixa imensamente feliz é a possibilidade de gerar empregos de forma direta e indireta e valorizar meus funcionários”, fala a empresária Sandra Nunes, pioneira local em seu ramo de atuação
FOTO: CAMILA CARRAZZONI

 

 

A RECOMPENSA DO DESAFIO

Atraída pela calmaria de Cachoeira e com a vontade de vê-la crescer, a empresária FERNANDA FERNANDES MIORIM, 31, formada em administração de empresas, com oito anos de atuação na área e há quatro na gerência da loja Santo Brilho Store, fixou moradia aqui há dois anos.
Após a sua saída em 2004, Fernanda foi morar na capital, onde cursou a graduação. Diante da venda da empresa do pai (Everton, 52), Fernanda optou por fazer concurso público à época. Aprovada em primeiro lugar como administradora, assumiu a sede do Conselho Regional de Educação Física do Rio Grande do Sul (CREFRS), em Caxias do Sul. No entanto, não se sentia realizada profissionalmente. Então, abandonou o cargo e retornou a Porto Alegre decidida a seguir seu sonho empreendedor, mas tornou-o realidade em Cachoeira, e deu certo.

Fernanda Miorim trocou cargo público por empreendimento em Cachoeira. “A cidade está crescendo e vai ser cada vez melhor! O trabalho, esforço e dedicação são diários e estão ligados diretamente ao nosso sucesso”, diz
FOTO: FABIANA TISCHLER


DE HOBBY A UM NEGÓCIO


Filha de uma família de empreendedores e criadores, Fernanda, que também é designer de joias, buscou inspiração nos avós (Ruy, 88, empresário, e Umilda, 85, artista plástica) e na mãe, Roséle, 57, que começou a produzir brincos artesanais por hobby. “Enxerguei aí a tão desejada oportunidade de aliar paixão e trabalho, e decidimos embarcar juntas nesse sonho de empreender”, conta ela.
Esse foi o primeiro passo para a criação da SOUL+ Joias, empresa de joias “handmade” (feito à mão, no inglês), com atendimento em sua própria residência na capital. O negócio se expandiu, e a empresa ganha um novo nome: a Santo Brilho, que há dois anos dispõe de loja física em Cachoeira, com especialidade no ramo de acessórios femininos, como joias, semijoias, relógios e bolsas de marcas.


 

 

 

 

 

DA INSPIRAÇÃO À AÇÃO

Com 17 anos de atuação na área de vendas, LOURDES HELENA DA CUNHA MACHADO, 37, é proprietária do Pelotas Doces e Café (antigo Berola), há quase três. De uma visita à Feira Nacional do Doce (Fenadoce) em Pelotas (RS), ao lado do esposo, o advogado Anderson de Castro Caldas, 51, surgiu a ideia de abrir a empresa dedicada ao comércio de doces exclusivos na cidade. “Sempre trabalhei com vendas, a qual é minha paixão, amo o que faço”, comenta.

Após 15 anos afastada, Lourdes Helena retornou para cá em 2012, junto de seu filho, o estudante Vinícios, 20, com a intenção de ficar mais próxima da família e em busca de maior qualidade de vida. Se valeu a pena? “Não me arrependo em nenhum momento. Amo Cachoeira”, afirma a mãe também de Gabriel, 2, e grávida de Helena, com nascimento previsto para outubro.

 

 

Inspirada em feira, Lourdes Helena Machado abre doçaria com produtos de Pelotas. “Cachoeira tem todo potencial. Somos persistentes, me sinto muito feliz”, comemora

 

 

 

 

 

 

DELÍCIAS IMPORTADAS

A doçaria e cafeteria Pelotas também dispõe de tortas e salgados de sabores variados e o café 35 – iguarias trazidas da região pelotense –, com menus para festas e eventos sob encomenda. “Sempre busco atender a todos os clientes com muito carinho e dedicação, ofertando produtos de altíssima qualidade”, destaca.

 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601