linda insta

Reportagens Edição 122 - março de 2018

Vá de BIKE!


Projeto incentiva o uso de bicicletas e a construção de ciclovia em Cachoeira

Pedalar é um dos esportes que mais vem ganhando adeptos nos últimos tempos. Pessoas de todas as idades se beneficiam com o uso da bicicleta tanto para passeios – desde os mais simples até os trajetos mais longos – como em competições e torneios, sendo até modalidade em jogos olímpicos. Além disso, uma pesquisa realizada na Universidade Federal do Rio de Janeiro constatou que a bicicleta é seis vezes mais econômica que carro e três vezes mais que ônibus. Sem falar nos benefícios que ela traz à saúde, entre eles a redução dos riscos de doenças cardiovasculares, consideradas a principal causa de morte no mundo segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Sua saúde, seu bolso e o meio ambiente agradecem!

Contudo, no Brasil ainda não existe a cultura de se usar a bicicleta como meio de transporte e os motoristas geralmente não respeitam os ciclistas. Por outro lado, algumas cidades brasileiras têm seguido tendência mundial ao incentivar a prática do ciclismo e receber o apoio de empresas e órgãos públicos, como já vem ocorrendo em Porto Alegre e Joinville (SC), conhecida como a “cidade das bicicletas”. Mas aqui em Cachoeira o primeiro passo já foi dado. É o que diz o comerciante RAFAEL DE MOURA KRÜGEL, 37, competidor, organizador e treinador de campeonatos regionais e estaduais de ciclismo, integrante do grupo Pró-Ciclovia e fundador da Quartalada, grupo de pedalada noturna que completou sua 300ª edição em agosto último e nove anos de existência.


“Com a suspensão do fechamento da Avenida Brasil, foi dado um passo para trás na conquista da tão sonhada ciclovia para os cachoeirenses”, acredita Rafael Krügel

 

 

 

GRUPOS DE CICLISMO

Ao todo, são seis grupos de ciclismo em Cachoeira do Sul, sendo:


QUARTALADA NOTURNA –
Sai todas as quartas-feiras em frente à loja Ciclo Bikes para diversos lugares de Cachoeira com um mapa pré-enviado aos integrantes. Seu intuito é formar novos ciclistas começando com uma pedalada nível básico em que todos possam resistir, às 19h30min.

BIKE TUR – Aos sábados, parte às 14h30 da Cinco Esquinas para diversos pontos da cidade, incluindo o interior.

PEDALA GURIA –
Destinado exclusivamente ao público feminino, ocorre em dias alternados durante a semana com trajetos dentro da cidade, às 19h.

CLUBE DO PEDAL –
Grupo de ritmo intenso em plena evolução que percorre a RS 403 até o final do asfalto que vai a Rio Pardo, sem horário.

GRUPO DE TREINO CICLISMO DE ESTRADA – Se reúne em pelotões de aproximadamente 12 ciclistas todos os sábados, com saída do Posto do Loló, no Bairro Fátima. A distância varia de 100 a 200 quilômetros em cada treino percorrendo Novo Cabrais e o trevo do Posto Papagaio, sem horário definido.

GRUPO DE TREINO DE MOUNTAIN BIKE CICLO BIKES TEAM (CBT) – Se reúne de três a quatro dias na semana para percorrer estradas do interior de Cachoeira. O pedal é num ritmo mais intenso, pois serve de treino para provas do estado, sem horário definido.

E MAIS:
durante o ano são organizados cicloturismos (turismo que consiste em viajar de bicicleta) para a Quarta Colônia com grupos de mais de 100 ciclistas e também para o Parque Witeck. As saídas são pela manhã cedo, com parada para almoço e visitação.

Fonte: Rafael Krügel


PARTICIPE
Os grupos são abertos ao público em geral e o ritmo é de passeio (com exceção do Clube do Pedal e dos grupos de treino de Ciclismo de Estrada e de mountain bike). Para participar, “a única exigência é que se tenha capacete, sinalização e, é claro, a bike”. Conforme Krügel, desde atletas consagrados até pessoas que querem engrenar no esporte e adquirir novas amizades estão convidados. “Os participantes devem respeitar o trânsito, aguardando na sinaleira, sempre utilizar o lado direito da via e jamais andar nas calçadas. O exemplo deve começar conosco”, salienta.


 

 

 

 

FIQUE DE OLHO
Todos os grupos têm páginas no Facebook que informam o local da pedalada da semana com demais detalhes. Todos têm horários precisos de saída.

 




OS CAMPEONATOS

Entre as principais competições de ciclismo que acontecem em Cachoeira estão o Campeonato de MTB, considerado o maior evento de mountain bike da região central do Rio Grande do Sul, trazendo centenas de ciclistas todos os anos à cidade e ao estado, o Fronteirão, que engloba a região da fronteira, a Copa Zona Sul, que faz parte da zona sul do estado, e o Campeonato Gaúcho, que atinge todo o RS. As provas são organizadas em estradões (maratona) e em circuitos de pistas técnicas (XCO Cross Country). Atualmente, Cachoeira é representada pela equipe Ciclo Bikes Team (CBT) em provas de campeonatos de MTB, tendo conquistado troféus em várias modalidades.
Fonte: Rafael Krügel


SAIBA MAIS

Rafael Krügel organiza passeios ciclísticos pela Quarta Colônia e cidades próximas a Cachoeira, como Rio Pardo e Caçapava do Sul, e é organizador do Campeonato de Mountain Bike de Cachoeira do Sul há três anos e campeonatos de BMX na pista municipal. É também competidor de mountain bike (disputa de velocidade em terrenos irregulares e íngremes, como montanhas e pisos de terra) e downhill (categoria praticada em percursos com descidas, de montanhas a escadarias), no qual participou do campeonato gaúcho e de uma etapa a nível nacional, e praticante de freeride (modalidade de salto de bicicleta). Ele comanda grupos de treino e a equipe Ciclo Bikes Team, que compete em provas pelo estado representando o município.

 


 

 

Para que se tenha uma pedalada segura e satisfatória deve-se também ter uma bicicleta adequada, ou seja, com peças de acordo com sua altura e medidas. Segundo Krügel, atualmente a tendência mundial é a bike aro 29. “Pelo fato de ser maior, te proporciona uma pedalada mais estável e a questão da energia inércia, que faz com que o rendimento seja muito maior em relação a uma bike aro 26 e tenha mais estabilidade”, explica ele. As bicicletas aro 29 de passeio partem de R$ 999,00.

 





“Está provado que um ciclista leva menos tempo da zona norte da cidade até o centro do que vindo de carro”.

RAFAEL KRÜGEL



SAÚDE NO PEDAL


Além de fugir do trânsito intenso, a bicicleta oferece muitos benefícios à saúde, tais como:

. Estimula o sistema imunológico e previne doenças crônicas
. Reduz o nível de estresse. Após a pedalada é liberada endorfina, hormônio que causa uma sensação de alegria, o que faz a pessoa ter a vontade de pedalar novamente
. Emagrece, define e fortalece os músculos abdominais e das pernas
. Ajuda a controlar o peso corporal e desenvolve a capacidade cardiorrespiratória
. Proporciona diversão, acesso a lugares lindos e novas amizades


PARACICLISMO

Após sofrer um acidente de motocicleta no interior de Cachoeira e tornar-se cadeirante devido a uma lesão medular em 2006, Agnelo Machado, 30, secretário municipal de Meio Ambiente e Turismo de Novo Cabrais, entrou no paraciclismo em abril do ano passado com o objetivo de buscar maior qualidade de vida e divulgar o paradesporto na região. De início, Agnelo adquiriu uma handbike (bicicleta adaptada) e começou a praticar o esporte ao lado da namorada Lenise Raquel Mentges (29, agrônoma). Neste período o casal ingressou no grupo Quartalada.
“Hoje o ciclismo é uma ferramenta para eu viver melhor, pois além de melhorar significativamente a minha saúde com a prática do exercício físico, serve como terapia e principalmente para fazer novas amizades. Também permite me aproximar das coisas simples que são importantes para mim, como a vivência colaborativa em grupo e a aproximação e interação com a natureza”, conclui ele, que planeja atravessar o estado pedalando. Mas, para isso Agnelo ainda está buscando melhorar seu condicionamento físico.



“Eu não considero como empecilho as dificuldades encontradas e sim como necessidade de autossuperação e de ir além dos meus limites. O ciclismo me trouxe uma liberdade que antes não tinha devido à condição de cadeirante”. Agnelo Machado



RUMO À CICLOVIA

Em maio último, a Federação Gaúcha de Ciclismo (FGC) realizou a Conferência da Bicicleta em Cachoeira. O vice-presidente da entidade, Marcelo Sgarbossa, ex-campeão gaúcho e brasileiro de ciclismo, debateu junto ao grupo assuntos sobre mobilidade urbana e a possibilidade da implantação de uma ciclovia na cidade. “Os benefícios e a segurança que traria à nossa cidade este investimento não são só para lazer, mas também para a segurança de trabalhadores que usufruem da bicicleta como meio de transporte diário”, explica Krügel. As contribuições integram o documento final da Conferência da Bicicleta apresentados no último semestre.
 


CURIOSIDADE
Conforme o servidor público, a prática adaptada do ciclismo é diferente, em parte, do ciclismo convencional – iniciando pelo equipamento, que tem três rodas e é movido pela força das mãos e dos braços, dando origem à expressão “mãodalar”. “Tem uma certa dificuldade na transferência da cadeira de rodas para a handbike, mas com a prática e a ajuda dos amigos vai se pegando o jeito. O trajeto, dependendo da elevação, pode ser um ponto de dificuldade, que é superado com um pouco mais de tempo e a ajuda dos colegas ciclistas”, conta.



“FALA AÍ”


 

 

 

 

 

“O ciclismo está para mim como caminhar. Desde muito pequeno ando de bicicleta e sempre gostei de pedalar. Na adolescência comecei a competir até a fase adulta com excelentes resultados, mas sem apoio e orientação o ciclismo acabou ficando de lado. Retornei há cinco anos por sentir necessidade de sair do sedentarismo, então voltei às competições de MTB. Há dois anos descobri uma nova paixão dentro do esporte, o ciclismo de estrada (speed). Nesta época, a vinda do Dr. Lucas Santos (sócio-fundador da equipe Bike Center Santa Maria) para Cachoeira nos trouxe muita experiência no esporte e pude ter a orientação e conhecimento que sempre precisei.

Atualmente, com muita dedicação, estou entre os melhores do estado. Tenho através da equipe o apoio profissional do treinador Henrique Machert, da Pedal Coaching. Sigo as orientações rigorosamente com muita disciplina: treino em média quatro horas por dia, completando de 450 a 600 quilômetros semanais. A meta de 2018 é disputar o Campeonato Gaúcho Elite e Brasileiro Master”.

LEONARDO ARAGÃO,
37, representante comercial, membro da equipe Bike Center Team Cachoeira do Sul, atual vice-campeão Gaúcho de ciclismo de estrada e campeão Gaúcho de velocidade na categoria Master A, campeão do Campeonato de MTB de Cachoeira do Sul Master A 2015 e bicampeão da Volta do Interior do Rio Grande do Sul 2016/2017.

 

 

 




 

 

 

 

 

 

 

 

“Pedalo há nove anos influenciado pelo Rafael Krügel, que é o líder da equipe. Começou como um hobby de fim de semana na equipe Feras do Asfalto e ao longo do tempo foi evoluindo até se tornar algo de extrema importância pra minha vida. Em 2018 pretendo participar do Campeonato de MTB na categoria Elite correndo pela Ciclo Bikes Team”.

RAFAEL BARBOSA TERRES, 25, arte-finalista, campeão da Copa Zona Sul em 2016 na categoria Sub-30
 






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 126 - julho de 2018

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições
linda no face 2

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601