Reportagens Edição 116 - agosto de 2017

Turma do Carrossel: RELEMBRE! PARTE 2


Conheça os cachoeirenses famosos nos shows de cover dos anos 80 e 90

 

Os tempos mudaram e as crianças foram criando novos gostos e novos hábitos. Enquanto hoje a diversão está a um clique de distância e o contato com os ídolos se estreitou nas redes sociais, antigamente as opções de entretenimento eram mais limitadas e a proximidade com os ídolos era algo bem difícil. Os anos 80 e 90 no Brasil foram marcados por bandas e cantores infantis famosos, como a Turma do Balão Mágico, Trem da Alegria, Os Abelhudos, Atchim & Espirro e muitos outros, revelando artistas que continuam sob os holofotes até hoje. Quem era criança nessa época teve uma infância inesquecível com muita música e diversão, o que em Cachoeira do Sul poderia se ter, além dos discos de vinil e da televisão, graças à Turma do Carrossel.


Conforme vimos na última edição da LINDA, este era um grupo de covers infantis de grande sucesso na cidade e região coordenado pela professora Ani Frey, 65, a Tia Ani, colunista do Clube do JPzinho, com a parceria de Luiz Delgado, 63, comerciante, que em entrevista conta suas melhores lembranças desta época. A trupe era formada por “artistas” que nasceram e aqui residem ainda hoje. Outros foram embora, mas carregam consigo muitas recordações. Veja outros integrantes que fizeram parte da Turma do Carrossel e saiba o que eles andam fazendo atualmente.

 

 

 

Segundo Luiz, iniciativas como a Turma do Carrossel ajudam na educação, disciplina, autoestima e formação da criança. “Elas têm que ser incentivadas. Todas têm potencial, porém necessitam de oportunidades”, pensa



 

LUIZ DELGADO: COORDENADOR E APRESENTADOR

Se no início era só para acompanhar sua filha Leila Delgado (farmacêutica, 37, capa da edição de julho da LINDA) nos ensaios e apresentações, o comerciante Luiz Carlos de Oliveira Delgado, 63, proprietário da loja Moda Móveis, não poderia imaginar que se tornaria coordenador, apresentador e animador da Turma do Carrossel. “Minha esposa Alba e eu fomos gostando da causa e nos envolvendo e apoiando em tudo que era necessário. Eu ajudava na coordenação dos ensaios e a ensinar como as crianças deveriam se portar no palco e passava meus conhecimentos musicais para elas”, conta Luiz, que atuou como músico profissional no passado, sendo o fundador do grupo musical Apocalipse, com apresentações em todo o estado.
Mesmo com o passar dos anos, Luiz lembra da emoção ao ver a dedicação das crianças e a alegria com que se apresentavam nos palcos do ginásio da Fenarroz. “Conseguimos um público de mais de 3 mil crianças assistindo, e isto fazia com que as que se apresentavam se sentissem verdadeiras artistas. Meus filhos têm ótimas recordações daquele tempo”, fala o comerciante.

 



Luiz Delgado interagindo com o público em apresentação na cidade de Paraíso do Sul nos anos 90

 


DESENVOLVER TALENTOS

Questionado sobre a possibilidade de voltar com o grupo, Luiz acredita que é preciso oferecer oportunidades às crianças, mesmo que seja para dublarem um artista famoso, para que elas desenvolvam seus dons naturais. “Sempre vai haver um artista no íntimo de uma criança. Se naquela época tivéssemos os smartphones, seriam utilizados para auxiliar nos ensaios, para aprender o gestual dos artistas e para decorar as letras das canções. Os pais, ou as famílias, sentem a falta de eventos, movimentos ou atividades lúdicas para seus filhos”, observa. Para Luiz, se fizermos um trabalho sério voltado ao público infantil haverá envolvimento e a participação das famílias.
 





MÔNICA BESKOW: A SANDY


De uma participação como substituta do Bidu (cachorro da Turma da Mônica) em show na cidade de Paraíso do Sul, Mônica Fontanari Beskow, 35, advogada, começou a participar da Turma do Carrossel aos 10 anos de idade. “Depois disso me encaixaram pra fazer uma dupla que estava estourando nas rádios e TV, Sandy & Junior, em que fui a Sandy”, conta. “Quando tinha show, as crianças enlouqueciam. Era como se realmente fôssemos os artistas que imitávamos. E havia um carinho das pessoas muito gratificante”, diz Mônica, lembrando da prima Elinka Matusiak como paquita, dos grupos Algodão Doce e Trem da Alegria, dos shows na Fenarroz e outro especial com a chegada do Papai Noel de helicóptero no quartel.

“Éramos vários artistas e de uma forma divertida conseguíamos levar esperança e alegria para as crianças que não tinham muitas oportunidades. Nunca fizemos em troca de nada e fazíamos com muito gosto”, fala Mônica

 

 

 


BRUNO GOMES

ELINKA MATUSIAK: NOS PALCOS ATÉ HOJE

Cantora e produtora cultural e musical, Elinka Fontanari Matusiak, 39, residindo hoje em Porto Alegre, não imaginava que faria dos palcos sua futura profissão. A paquita Pituxa Pastel da Turma do Carrossel lembra emocionada da repercussão dos shows e participações em eventos durante os dois anos em que integrou a equipe, entre 1988 e 1990. “Recordo com carinho e gratidão da sensação indescritível de ver o Arrozão completamente lotado, do sentimento de realização ao saber o quanto estávamos ajudando crianças carentes com shows e eventos beneficentes e da emoção de poder olhar nos olhos das crianças que visitávamos (em creches, na Apae, etc.) e ver um brilho de alegria, de gratidão e de esperança…” relata Elinka, que participou da turma pela primeira vez aos 11 anos de idade apresentando o show do primeiro aniversário do JP Criança no Arrozão ao lado de Raquel Comassetto (filha de Leni). Sua irmã, a administradora e comissária de bordo Fernanda Fontanari Matusiak, 36, também integrou o grupo. “As crianças deliravam e pediam autógrafos como se fôssemos as paquitas de verdade!”, conta.

Segundo Elinka, o grupo teve a oportunidade de vivenciar uma época ímpar na história da música produzida no Brasil: crianças cantando para crianças. “Houve um determinado momento em que correu uma notícia de que existia a possibilidade de gravarmos um disco, ou seja, cantar de verdade! Lembro que eu fiquei ansiosa, pois haveria uma seleção”, recorda a cantora, que fundou o núcleo gaúcho de música corporal BatuKatu há sete anos. Mãe de Helena, 6, e Clara, 5, Elinka ainda planeja lançar seu primeiro CD em breve.

“Lembrar desta época sempre me traz um sorriso e uma saudade enorme daquele trabalho e das pessoas queridas que conheci/convivi!”, diz Elinka




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TATI FLÔRES: DE PAQUITA A JORNALISTA

A jornalista Tatiane Hickmann Flôres, 38, interpretava uma das paquitas da Xuxa e uma integrante do grupo Algodão Doce dos 11 aos 13 anos de idade. Conforme Tati, a repercussão na época era muito positiva, pois a Turma do Carrossel estava no auge do seu sucesso e as apresentações dos covers eram prestigiadas pelas crianças da cidade e região. “Era o máximo participar da turma junto com minhas amigas. Nos divertíamos muito e nunca deixamos de ser crianças apesar da intensa agenda de apresentações. Lembro com muito carinho desta época e da Ani Frey”, recorda-se.

“Nos sentíamos os próprios artistas distribuindo autógrafos e tirando fotos com a criançada. A experiência foi muito enriquecedora mesmo”, diz Tatiane

 

 

 

 

 

 

 

 



ARQUIVO PESSOAL

As paquitas Elinka Matusiak, Andressa Mazuim, Maristela Rosa, Joice Morais, Anelise Beltrão, Giovana Cella e Tatiane Flôres em preparação para show nos anos 90



 

 

 

 

 

 

 

ANDRESSA MAZUIM: A UNIÃO DA TURMA

Os ensaios, os shows, o Arrozão lotado, o olhar feliz e a vibração das crianças ficaram gravados na memória de Andressa Mazuim Schirmer, 39, servidora pública do Poder Judiciário. Aos 12 anos de idade, Andressa interpretava uma paquita na Turma do Carrossel, grupo que ela integrou durante três anos. “Nós da turma sempre fomos muito unidos. Nos reuníamos semanalmente ou até duas vezes na semana para os ensaios, que dependiam da proximidade das apresentações, bem como das datas das provas escolares. Recordo também de fazermos apresentações fora de Cachoeira. Sempre tive apoio incondicional dos meus pais, que em todos os momentos foram incansáveis”, conta ela, ressaltando a finalidade assistencial dos shows: “Lembro-me de uma apresentação que arrecadamos valor suficiente e compramos uma cadeira de rodas para doar a uma criança”, recorda.

Andressa confere reportagem original feita com ela para o JP Criança em janeiro de 1990. “Levo na memória um pedacinho de cada uma das gurias e torço para que sejam sempre felizes”

 

 

 






ARQUIVO PESSOAL

Turma das paquitas: Mairu Scherer, Márcia Trindade, Andressa Mazuim e Janaina Willig




ARQUIVO PESSOAL

As paquitas Janaina Willig, Mairu Scherer, Andressa Mazuim e Elinka Matusiak




P.S. Confira na próxima edição mais histórias e personagens da Turma do Carrossel!






EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 118 - outubro de 2017

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601