Reportagens Edição 112 - abril de 2017

Saúde na gravidez


Atividade física é indicada para gestantes, mas requer cuidados especiais

 

Quando uma mulher engravida tudo ao seu redor se transforma, mas a maior mudança acontece no seu corpo e na sua cabeça. O corpo todo se modifica ao longo dos nove meses para a chegada do bebê sob a influência de oscilações hormonais durante as fases do ciclo gestacional. Praticar atividade física antes, durante e após a gravidez é indicado por especialistas, pois traz inúmeros benefícios para a saúde da mãe e do bebê. A instrutora de dança de ritmos latinos Gracieli Dornelles, a Grazi, 34, sendo nove anos de atuação, fala sobre a importância da atividade física na gestação e conta sua história como mãe. Para esclarecer mitos e verdades sobre exercícios para grávidas ouvimos a ginecologista e obstetra Leila Spanemberg, 40, que atua há 12 anos na área.

 



“Nosso corpo foi feito pra estar em movimento. Atividade física e qualidade de vida são saúde”, afirma Grazi, acompanhada do marido Mateus Proença Dahlke, 33, cirurgião dentista e empresário, e do filho Mateus

 

 

GRAVIDEZ ATIVA

Mãe do Mateus Dornelles Dahlke, 5, Grazi sempre foi adepta da atividade física. Na primeira gestação, a professora de dança continuou com as suas atividades até o oitavo mês, recebendo a supervisão de seu médico, dentro dos limites de seu corpo. No último mês de gravidez ela passou então a praticar hidroginástica. “Posso garantir que tive uma gestação muito saudável e tranquila e a dança me ajudou muito tanto para flexibilidade e mobilidade quanto para relaxamento físico e mental”, conta Grazi, que não teve inchaço e dores nas articulações, voltando ao peso normal logo após o parto por conta de seu estilo de vida ativo.


ABORTO ESPONTÂNEO
Assim que recebeu a notícia de que seria mãe pela segunda vez, Grazi optou novamente por não parar de ministrar suas aulas. De maneira saudável e responsável, a instrutora vinha sendo acompanhada pela médica Leila e por um profissional de educação física. No entanto, ela acabou sofrendo um aborto espontâneo com dois meses e meio de gravidez. Conforme Grazi, o incidente não teve nenhuma relação com os exercícios, pois agia dentro das orientações. “Senti muitos benefícios na gravidez praticando atividade física. Não tinha dores e a minha disposição era incrível”, assegura Grazi, que mantém uma alimentação equilibrada.



 

 

 

É importante que o retorno aos exercícios físicos seja gradual. Não é fácil no início conciliar atividade física e a rotina com o bebê, mas a prática de exercícios garante bem-estar físico e emocional em um período tão especial na vida da mulher.
 

 

 

 


3 PERGUNTAS PARA LEILA SPANEMBERG

1) Gestantes podem fazer exercícios físicos?

“Estão bem estabelecidos os benefícios dos exercícios físicos: reduzem as dores musculares e articulares, melhoram o padrão cardiorrespiratório, geram maior controle de ganho de peso, atuam positivamente no estado psicológico e também fortalecem a musculatura, o que facilita o trabalho de parto e o parto normal”.

2) Excesso de exercício pode induzir ao aborto?

“Respeitando algumas patologias e condições na gestação que necessitam de repouso, não há risco de acontecer um aborto espontâneo. Estimular a adoção de um estilo de vida saudável com a prática de atividades físicas deve fazer parte da orientação médica. Vale ressaltar: sempre adaptar o ritmo de exercícios com a condição de estar grávida”.

3) Por que os abortos espontâneos ocorrem?
“Aborto espontâneo é a forma de o corpo decidir por não levar adiante a gravidez que não se desenvolve como esperado. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a interrupção da gravidez antes das 20 semanas de gestação ou com peso fetal inferior a 500 gramas. Aproximadamente de 15% a 20% das gestações terminam em abortamento. Dentre as causas mais comuns estão anomalias congênitas, alterações cromossômicas, idade materna avançada, disfunções da tireoide, uso de medicamentos, doenças infecciosas e excesso de cigarro, drogas e álcool”.


“A atividade física na gravidez não é só bem-vinda mas também necessária”, recomenda a ginecologista e obstetra Leila Spanemberg



BENEFÍCIOS DA ATIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ


. Melhora a qualidade de vida da grávida. Isso é muito importante em um período de alterações metabólicas e hormonais

. Com o reforço da massa muscular, a grávida consegue reduzir as dores nas costas e o inchaço nos pés e nas pernas, já que estimula a drenagem dos líquidos acumulados

. Ajuda a queimar calorias ingeridas a mais, combatendo o aumento de peso, além de reduzir e controlar a pressão arterial e o colesterol ruim (LDL)

. Reduz os níveis de glicose no sangue, prevenindo o desenvolvimento de diabetes gestacional

. Melhora a capacidade cardíaca da gestante, o que facilita o trabalho de parto e a recuperação no pós-parto

NO PÓS-PARTO


. Além de grandes aliados na volta do corpo, os exercícios físicos são ótimos para superar períodos de cuidados intensos com o bebê. O tempo e a dedicação da mãe com o filho são enormes e ela precisa de momentos para cuidar de si

. Melhora a disposição

. Aumenta a autoestima e a confiança

. Alivia dores e desconfortos

. Proporciona bem-estar físico e mental, afastando a depressão pós-parto

Fonte:
Gracieli Dornelles



“É importante praticar atividade física, mas tomando os devidos cuidados e seguindo sempre a orientação de seu médico, respeitando, assim, a individualidade de cada grávida. Gravidez não é doença e sim uma dádiva da vida, por isso merece toda atenção na qualidade gestacional”.GRACIELI DORNELLES
 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601