Reportagens Edição 112 - abril de 2017

Paixão por gatos


Mitos e verdades do universo dos gatos

 

Amados por uns e odiados por outros, os gatos são animais graciosos, limpos e independentes. Acredita-se que eles tenham sido domesticados na China há 5 mil anos. Hoje, estão conquistando cada vez mais espaço nos lares modernos. Dona de cinco gatos, a professora de violino Lorrene Klatter Braga, 26, cresceu rodeada por animais de estimação e se declara apaixonada por eles, especialmente felinos. “Acho que a paixão começou quando tive meu primeiro gatinho, aos sete anos. Era um menino e se chamava Beetlejuice por conta de um desenho que eu assistia na época. Minha mãe dizia que ele me cuidava durante o sono. Anos mais tarde fui entender que eles têm algo de místico e a paixão só foi crescendo”, fala.



Lorrene mostra suas maiores paixões: o gato Gordo (adotado da Acapa) e os filhotes Elis e Toquinho (que foram abandonados em um terreno baldio). Ela também é dona da Thalia e do Chaplin

 

 


SUCESSO NA WEB
Os gatos se tornaram fenômenos da internet com memes e vídeos virais. Para Lorrene, esse sucesso deve-se ao fato dos gatos serem engraçados, expressivos e confortáveis em ser exatamente do jeito que são. “Eles são autênticos e é por isso que a gente ama ver eles em todo lugar,” explica.





 

 

No entanto, os bichanos também têm a fama de interesseiros, traiçoeiros e de serem incapazes de dar carinho ao dono. “Acho que as pessoas dizem/pensam isso porque não sabem amar sem desapego. Gato tem muito dos seres humanos e, portanto, nos faz lembrar nós mesmos. Eles têm manias, por vezes são mal-humorados, vaidosos e guardam rancor. Rancor que logo passa se as desculpas forem sinceras, pois gatos são”, justifica Lorrene.
Segundo a jovem, eles se apegam e demonstram carinho ao dono sim, mas não fingem gostar se realmente não gostam, só se você fizer por merecer. “Quem tem a sensibilidade de entender e respeitar um gato sabe como é profundo esse amor. Desde a simples companhia, um ‘miadinho’ ou um ronronar quando se está com ele é sincero”, finaliza.
“Gatos são sábios. Me ensinaram a ter amor-próprio, a ser autêntica e que eu não preciso fazer algo que não queira para agradar as outras pessoas. Ter um gato é ao mesmo tempo uma lição diária de amor verdadeiro e independência”. Lorrene Klatter

 



Gatos: AME-OS OU DEIXE-OS

É fato que a popularidade dos gatos tem aumentado a cada dia, mas estes também costumam ser incompreendidos. Para a cabeleireira e estudante de Química Industrial Letícia Marx Soares, 23, isso não faz o menor sentido. “A verdade é que algumas pessoas pensam que os animais têm que estar sempre contentes quando elas estão disponíveis para eles. Acho isto um pouco de egoísmo. O gato te acompanha e demonstra nos pequenos gestos naturalmente”, defende a dona da Laiza. “Até um mês atrás eu tinha dois, porém o Negrinho, que estava comigo há 12 anos, infelizmente faleceu”, lamenta.
Letícia descobriu seu amor pelos felinos ainda na infância, quando ganhou a primeira gata de estimação. “Desde então o amor e a admiração por estes bichinhos tão complexos só foi aumentando”, conta ela. “Com eles aprendi que cada um possui uma personalidade diferente e também a forma de demonstrar carinho. Os felinos não fingem e são super seguros em suas atitudes. E isto é o que mais me fascina neles”, fala a cabeleireira. 



“O que tem de mais purificante para a alma é um olhar no fundo dos teus olhos de um gato, aquele que tu sentes que te purifica por dentro. O gato se torna teu dono, teu protetor”, diz Letícia


“Os gatos ensinam que coisas simples, como uma caixa de papelão ou um pedaço de corda, são suficientes para te deixar alegre e o quanto ficar olhando para a natureza, da janela mesmo, alimenta a alma. Eles te tornam leve, trazem muita alegria para a casa e a purifica. E como é bom dar gargalhadas das trapalhadas que eles fazem”. LETÍCIA SOARES


     CURIOSIDADES SOBRE OS GATOS


1 Maru, Grumpy Cat e Bob são gatos que têm fãs espalhados pelo mundo.
O primeiro, um gato da raça scottish fold que mora no Japão, tornou-se sucesso na internet com seus saltos em pequenas caixas de papelão. Grumpy Cat (“Tard, o gato zangado”) é uma gata com expressão mal-humorada dos EUA que ganhou estrela na Calçada da Fama. Já Bob é um gato londrino que ajudou o dono a se libertar do vício das drogas, virando uma série de livros e filme best-seller, intitulada “Um gato de rua chamado Bob”.

2 Os gatos são seres místicos que absorvem energias negativas e as transmutam.
Quando as ciências holísticas eram repudiadas, as “bruxas e os magos” (pessoas que detinham conhecimento da acupuntura, fitoterapia, etc.) tinham sempre o gato preto, originando-se superstições que duram até hoje. Por isso milhares de gatos foram perseguidos e queimados vivos com seus donos durante a Inquisição, na Idade Média, entre os séculos 13 e 14. O resultado foi o surto da Peste Negra, pois houve o crescimento da população de ratos e a doença (transmitida por pulgas presentes em roedores) matou cerca de um terço da população europeia.

3 Para os gatos, o maior gesto de confiança e aceitação é um deles piscar seus olhos na companhia de outro.
Um felino que recebe seu dono com piscadas longas ou olhos semicerrados está demonstrando que confia em você e se sente confortável na sua companhia. O mesmo acontece quando ele fica de barriga para cima – esse é o mais profundo gesto de confiança que ele pode oferecer. Isso porque a barriga é um dos pontos mais vulneráveis do gato em uma briga. Se o seu gato senta de costas para você não quer dizer que ele está te desprezando, pelo contrário, ele está demonstrando confiança e que vai observar o ambiente por vocês dois.

4 Os gatos expressam satisfação através de um barulho semelhante a um ronco leve.
Esse movimento, chamado ronronar, chega até a vibrar sua garganta e tórax. Outra forma do felino demonstrar sua felicidade é se esfregar ou “amassar pão”, movimento constante com as patinhas. Eles possuem glândulas na região da boca e da mão e ao as esfregarem deixam uma secreção nos objetos e nas pessoas que eles adoram. Ao mesmo tempo estão marcando-o como propriedade dele.

5
Com uma ótima capacidade de visão em ambientes de pouca luz, os gatos conseguem ver cerca de sete vezes melhor do que os humanos na escuridão. Os olhos dos felinos brilham porque contêm no fundo uma camada de células chamada tapetum lucidum (tapete brilhante), que reflete toda a luz recebida. Isto se deve ao fato de que as pupilas dos gatos dilatam e, por isso, mudam de formato. Como durante o dia há muita luz, o olho do gato fica só um risco, pois não precisa fazer esforço para enxergar. Já à noite a pupila se expande, ficando com o olho redondo.

6
Eles podem demonstrar insatisfação com determinada situação movimentando suas orelhas para trás. São verdadeiros termômetros de humor – quanto mais para trás maior é a insatisfação. Também através da cauda, com um movimento ritmado.

7 O cérebro dos gatos é muito parecido com o cérebro humano.
Eles têm a mesma perspectiva, veem as mesmas cores, sentem as mesmas emoções e se sentem humanos. Eles ficam magoados e podem até te perdoar, mas dificilmente esquecerão.

8
Ao observar um grupo de gatos dormindo pode-se ver que eles ficam amontoados. Por isso eles gostam de dormir em cima dos donos, já que são atraídos pelo seu calor e odor característicos.

9 Embora independentes, os gatos também precisam de atenção e carinho.
Quando ligados emocionalmente, eles encaram seus tutores como “pais” e podem trazê-los alguns “presentes”, como passarinhos, ratos e lagartixas. Mas não brigue com eles. Nada mais é do que uma forma sincera de demostrar gratidão.

Fontes de pesquisa:
Bemzen Uol, Anda, O Segredo, Tudo sobre Bichinhos, Mundo dos Animais
 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601