Reportagens Edição 100 - março de 2016

Você RONCA?


Mais que aquele indesejável ruído pela noite, o ronco pode ser um sinal de alerta para a apneia do sono

 

O relógio despertou pela manhã e antes de desligá-lo você já quer dormir de novo? Isso não é tão difícil de acontecer. Quando não temos um sono de qualidade não acordamos bem dispostos e consequentemente o dia não rende muito. Entre os vários distúrbios do sono que existem o mais comum é a síndrome das apneias/hipopneias obstrutivas do sono (Sahos). Para entender melhor, LINDA conversou com a fisioterapeuta Clarice Schwerz, 36, sendo 12 anos de profissão.

 

 

“Cuidar do nosso sono é tão ou mais importante do que cuidar da nossa alimentação, da nossa saúde ou do nosso corpo”. Clarice



O QUE É APNEIA DO SONO? “É um conjunto de sintomas e características que um indivíduo possui relacionado a paradas respiratórias durante o período de sono. A apneia ocorre quando a musculatura do céu da boca e da língua torna o estreitamento tão intenso a ponto de obstruir totalmente a passagem de ar para os pulmões, ou seja, a pessoa para de respirar por 10 segundos ou mais. Este evento se repete diversas vezes enquanto a pessoa dorme”. 


QUAL A RELAÇÃO DA FISIOTERAPIA COM A APNEIA DO SONO?
“A fisioterapia objetiva prevenir desordens funcionais e também restaurar funções do corpo. O profissional da fisioterapia possui conhecimentos do sistema respiratório e com base nestes conhecimentos utiliza recursos terapêuticos diversos, incluindo o CPAP, que é um aparelho utilizado para o tratamento da apneia obstrutiva do sono”.


POR QUE A GENTE RONCA? “Geralmente roncamos porque ao deitarmos nossa musculatura da língua e céu da boca relaxa e ‘desaba’ em direção à garganta. Esse relaxamento da musculatura torna a passagem de ar para os pulmões muito estreita, então o ar passa com dificuldade, fazendo o ruído característico. Chamamos este tipo de ronco de hipopneia obstrutiva.Existe também o ronco por dificuldade da passagem de ar pelo nariz, que deve ser tratado por médico especialista (otorrinolaringologista) que determinará a melhor conduta terapêutica”.


QUEM CORRE O RISCO DE TER APNEIA?


“OBESOS - Devido ao acúmulo de gordura na região do pescoço, o que comprime a traqueia e estreita ainda mais a passagem de ar. Também pelo acúmulo de gordura na barriga, diminuindo o movimento da caixa torácica e assim dificultando o movimento da respiração”.

“HOMENS - Os homens têm de duas a três vezes mais chances de ter apneia em relação às mulheres. A partir da menopausa as chances das mulheres desenvolverem apneia se equiparam às dos homens.”

“IDADE - Pessoas acima de 45 anos, devido à flacidez dos músculos da língua e céu da boca”.

“FORMATO DO ROSTO - Quem tem o rosto muito alongado, mandíbula ou maxilar curto, pescoço curto e/ou com circunferência larga, anormalidades anatômicas (como ‘campainha da garganta’ alongada), septo desviado, adenoides ou amígdalas crescidas e alterações dos ossos do crânio também está predisposto ao desenvolvimento da apneia”.

“FUMANTES - O cigarro promove uma inflamação crônica nas vias aéreas e consequentemente maior acúmulo de líquidos (edema) no trajeto de passagem do ar”.

“ÁLCOOL - Bebidas alcoólicas provocam um maior relaxamento da musculatura, favorecendo ainda mais a obstrução das vias aéreas”.



O QUE ACONTECE QUANDO NÃO SE TRATA A APNEIA? “A pessoa corre maior risco de desenvolver doenças cardíacas (arritmias, infarto, insuficiência cardíaca, etc.), aumento da pressão arterial, doença vascular encefálica (ou AVC), morte súbita, doenças metabólicas, diminuição da concentração e memória, redução da libido, impotência sexual, irritabilidade, depressão, dor de cabeça quando acorda, sono agitado e sonolência excessiva diurna”.


CORREMOS O RISCO DE NÃO ACORDAR DURANTE UMA APNEIA E MORRER? “É pouco provável que a pessoa morra durante um evento de apneia, pois o cérebro ‘alerta’ o corpo com uma descarga de adrenalina para que o indivíduo desperte”.


COMO É O TRATAMENTO PARA APNEIA? “O tratamento para os casos leves e alguns casos moderados é realizado pelo médico otorrinolaringologista ou clínico, ou então por dentistas especializados. Em casos moderados e graves o tratamento é o aparelho CPAP, que através de uma determinada pressão empurra o ar para dentro das vias aéreas, afastando a musculatura que está obstruindo a passagem natural do ar. É um tratamento contínuo, onde é necessário o uso do aparelho junto a uma máscara que enviará o ar pelo nariz ou pelo nariz e pela boca ao mesmo tempo. O aparelho não faz ruídos e não causa dor. Deve ser usado sempre que a pessoa for dormir”.




TEM CURA? “Devido à causa da apneia ser multifatorial, a cura definitiva ainda é questionável. Por outro lado, a pessoa melhora muito a sua qualidade do sono e principalmente sua qualidade de vida, pois extinguirá diversos sintomas como a sonolência, perda da memória e irritabilidade”.

 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601