Reportagens Edição 73 - setembro de 2013

Preserve-se em seu ambiente de trabalho


As palavras têm poder e falar demais pode até fazer você perder o emprego

 

Já diz o popular ditado: em boca fechada não entra mosca. Trazendo-o para o ambiente de trabalho, ficaria melhor dizer: boca fechada preserva a imagem do profissional. Afinal, a mania de sair falando tudo o que quer e sem pensar pode acabar respingando negativamente sobre quem fala.

De acordo com a consultora de etiqueta Rosimere Moraes, 48, quando abre-se a boca no ambiente de trabalho, o cuidado deve ser redobrado, pois muitas vezes é criada uma intimidade que não existe, o que causa uma exposição desnecessária. É comum escutar no local de trabalho críticas ao chefe, fofocas de colegas e comentários comprometedores. Neste dia, seus colegas podem ser seus amigos, mas no dia seguinte tudo pode mudar. “Os colegas que competem pelo mesmo cargo que você e os diretores das empresas avaliam não só seu desempenho profissional, mas também o seu comportamento”, observa a consultora.

Para não cometer deslizes, é sempre bom ter consciência do que fala. Alguns chefes são descontraídos e conseguem criar um bom ambiente de trabalho, mas isto, segundo Rosimere, não significa que ele seja seu amigo. “Apenas fale da sua vida privada se o seu chefe perguntar algo e, ainda assim, modere nas palavras”, diz. Algumas vezes não estamos no nosso melhor dia e a frustração fica visível nos nossos olhos. Neste caso, é melhor se controlar e falar o mínimo sobre seus problemas.







Em várias situações, o silêncio vale ouro, principalmente quando o assunto é...

...FOFOCA. Faz mal para sua imagem, sem falar que fofoca gera mais fofoca.

...VIDA SEXUAL. Mesmo que você se sinta muito à vontade para falar de sexo, não precisa sair espalhando no trabalho quais suas posições preferidas e preferências.

...SALÁRIO. Perguntar quanto o colega ganha soa mal. “Jamais faça isto. Além de ser falta de educação, pode causar um mal-estar”, diz Rosimere.

...ODIAR. Não importa quem ou o que você odeia. Esta palavra é muito negativa e destrutiva. Evite-a.

...PUXAR O SACO. Quem não tem ou já não teve um colega puxa saco do chefe? Uma coisa é ser leal ao chefe e outra é fazer intriga com seus colegas de trabalho.

...PEGAR GERAL. A festa do dia anterior foi ótima e você bebeu todas e beijou muito na boca? Conte aos seus amigos, e não aos seus colegas no ambiente de trabalho.

...COCHICHO.
Cochichar na frente dos outros é deselegante e desconfortável para quem está perto.

 





 

 

Só o bom desempenho profissional é suficiente?

 

 


 

 

 

 

 

 

Para a proprietária do Salão de Beleza Espelho Mágico, TATIANA PROENÇA DA SILVA, 37, não. A técnica é muito importante e pode ser ensinada, mas o caráter da pessoa é muito difícil mudar. “Primeiro eu faço uma avaliação técnica, mas, se não tiver o perfil para trabalhar comigo, pode ser um ótimo profissional que não entra”, fala Tatiana. A empresária considera que 25% do que conta num funcionário é a técnica e 75% o comportamento. Segundo ela, uma vez por mês a empresa tem treinamento com um psicólogo, onde são abordados, entre outros temas, a ética, o comportamento e o relacionamento com a equipe. “Não existe pessoa perfeita, mas com pessoas que perturbam a convivência no ambiente de trabalho não dá para trabalhar”, completa Tatiana.

Crédito:
Vanessa Soares

 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601