Reportagens Edição 68 - abril de 2013

É hora de mudar de emprego?


Há sinais que podemos perceber se estamos no momento certo de arriscar outra profissão


Sair para trabalhar está se tornando um sacrifício cada vez maior? Será que está na hora de mudar de emprego? Geralmente somos muito jovens quando temos que tomar uma das decisões mais importantes da nossa vida: a carreira a seguir. É normal entrar em uma faculdade e desistir do curso e começar a trabalhar com alguma coisa e ver que não era nada daquilo que sonhamos. Mas como vamos ter a certeza de que isto não é apenas uma fase ruim e que vai passar?
Para a psicóloga Lísia Vieira da Cunha, 39, 14 anos de profissão, há sinais claros para saber se estamos no lugar certo:


JOICE BERNARDI ZACHAZESKI, 28, entrou na faculdade para cursar Publicidade. Um ano depois, decidiu que ia fazer Psicologia. “Não me arrependi em momento algum de ter me formado em Psicologia”, conta. Mas o interesse por fotos sempre existiu dentro dela, até que um dia virou algo mais sério. “Não tinha a intenção de ser fotógrafa. Até que fui convidada para fotografar uma amiga e divulguei na internet o ensaio. A partir disto, o pessoal começou a me procurar querendo ser fotografado também. Eu me sentia insegura. Ao mesmo tempo em que adorava trabalhar como psicóloga, algo novo surgia com bastante força. Aos poucos, não consegui mais dar conta das duas coisas, os finais de semana eram curtos para os agendamentos das fotos e resolvi sair do meu trabalho como psicóloga”,conta Joice, cada vez mais realizada em sua nova profissão.




MARIÂNGELA PONTES GONÇALVES, 49, também deu uma guinada em sua vida profissional. Hoje ela tem uma agência de viagens e se sente realizada no trabalho. “Além de ter conhecido boa parte do mundo, trabalho com realização de sonhos”, diz. A empresária começou sua vida profissional como engenheira florestal e chegou a trabalhar três anos no ramo. “No início, não tive dúvidas, estava certa de que era o que eu queria. Mas o setor primário enfrentou uma grave crise, o que me desmotivou e fez com que buscasse alternativas. Sempre gostei muito de viajar e, como durante toda minha vida acadêmica já organizava as viagens de turma, identifiquei uma vocação para o turismo”, observa.




FERNANDA DE FRANCESCHI AMARAL
, 33, saiu de Cachoeira há 15 anos para estudar Direito na capital gaúcha. Trabalhou na área por cinco anos, até que uma antiga paixão começou a se tornar mais presente. “Sempre gostei de moda. Adoro inventar coisas manuais”, conta. A advogada não esperou mais e investiu em cursos de costura, modelagem e moulage. “Fui convidada a trabalhar na fábrica de camisas Ghola como estilista e, principalmente, para desenvolver a coleção de inverno masculina e feminina”, diz. Fernanda está adorando a nova profissão e se orgulha pelo sucesso que suas camisas estão fazendo. “Trabalhar com moda é o que me faz feliz. Isto faz meus olhos brilharem”, conta. As peças levam seu nome na etiqueta: Ghola by Fer Franceschi.




1 A pessoa tem que perceber se ela faz o trabalho com paixão e alegria.

2 Ela tem que ter satisfação com os desafios apresentados e estratégias de evolução.

3 Quando estamos realizados com o nosso trabalho, os olhos brilham.
 






BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601