Reportagens Edição 62 - setembro de 2012

Por uma boa convivência


Conviver em harmonia com os mais velhos não é só um ato de respeito, como de carinho

Apesar dos 58 anos de diferença de idade, a psicóloga Ana Maria Tarasconi, 27, e sua avó, a funcionária pública federal aposentada Cecília Tarasconi, 85, mantêm uma relação de amizade e companheirismo. Tudo porque aprenderam a respeitar a opinião de quem viveu em épocas totalmente diferentes. Entretanto, a convivência harmoniosa de Ana Maria e Cecília é um exemplo cada vez mais difícil de encontrar.
Para a psicóloga Laura Machado, 23 anos, sendo dois de profissão, a palavra-chave é compreensão. “Os mais jovens devem ter em mente de que a vida muda com o passar dos anos e que para eles é mais fácil se adaptar aos costumes dos mais idosos do que eles mudarem de atitudes e pensamentos”, explica. No mês dedicado aos idosos, LINDA traz as dicas da psicóloga para manter uma boa convivência com quem já viu muitos anos passarem.


Cecília e Ana Maria: respeito é fundamental para uma convivência harmoniosa





Respeito é bom e eles gostam – Desde criança, a maior lição que é passada é respeitar os mais velhos. Nada justifica jogar suas frustrações ou problemas em cima dos idosos.
 
Paciência é fundamental – A pessoa mais velha tem manias e teimosias e as constantes repetições de história podem cansar. Quando se vir em situações como essa, conte até 10 e tenha paciência.

Reconheça a sabedoria dos mais experientes – Que tal pedir a opinião de quem já viveu muito e sabe das coisas? Mesmo que seja sobre um assunto banal, faz com que ele se sinta mais importante e respeitado.



Estabeleça uma boa rotina – Na velhice, os hábitos que as pessoas têm ficam mais rígidos. Procure facilitar a vida do idoso que acorda, dorme e faz as refeições mais cedo, que vê sempre o mesmo programa de TV ou passa horas jogando paciência.
 
Inclua-o – Chame o idoso para ir a vários lugares: cinema, supermercado, padaria, principalmente se for a pé. Além da atividade física, ele se manterá informado sobre o que está acontecendo.
 
Estimule-o a ter um lazer –
Convide-o ou incentive-o a dar uma volta quando notar que alguém da terceira idade está sem ter o que fazer. É muito bom se divertir e manter-se em contato com outras pessoas.



Sem discutir na frente deles –
Se tiver algo a discutir com o marido ou filhos, evite que seja na frente do idoso.
 
Dê muito amor e carinho – Dizer pelo menos uma vez por dia que o ama é fundamental para demonstrar ao idoso seu sentimento por ele e mostrar o quanto ele é querido.
 
Sempre alerta à saúde e à qualidade de vida – Com medo de incomodar, muitas vezes o idoso não conta que está se sentindo mal ou reclama por algum problema de saúde. Na dúvida, leve-o ao médico, mesmo que seja só para tranquilizá-lo.
 
Aceite os limites –
É claro que as pessoas da terceira idade precisam estar em atividade, mas não vá mandá-los fazer serviços pesados. Se puder ajudar, ótimo, mas dentro de suas limitações.











BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601