Reportagens Edição 61 - agosto de 2012

Etiqueta no celular


É possível usar o telefone móvel sem escorregar nas regras de etiqueta

É difícil encontrar quem não tenha um telefone móvel. Mesmo sendo tão comum, o uso dele ainda gera muitas dúvidas. LINDA conversou com a consultora de etiqueta Rosimere Morais, 46 anos, para esclarecer as mais frequentes.


LIGANDO DE VOLTA: é obrigatório retornar todas as chamadas não atendidas? Nem sempre. “Se não for atendida por uma impossibilidade, retorne após desculpando-se. Já se for uma ligação inconveniente (horário impróprio ou assunto que não importa), melhor esquecer”, ensina.



MANTENHA UM TOM DE VOZ BAIXO: telefones celulares têm tecnologia sensível, que bloqueia o ruído ambiente para os chamadores do outro lado da linha, por isso não há necessidade de gritar em áreas ruidosas. “É o fim da picada fazer com que outras pessoas participem da conversa que só diz respeito a você. Falar ao telefone demonstra bem o grau de educação das pessoas, basta você perceber os outros e verá”, ressalta Rosimere.


EDUCAÇÃO COM QUEM ESTÁ PRÓXIMO: não utilize o telefone ao ser atendido por alguém, como em uma loja ou posto de combustível. Não só é rude como também dificulta significativamente a capacidade da pessoa com quem você está interagindo para fazer o seu trabalho de forma eficaz. Se for urgente, peça licença, desculpe-se e seja breve.


DESLIGADO: há situações em que o celular não é recomendado nem no modo silencioso. Velórios, palestras e cerimônias de casamento são exemplos. Desligá-lo nessas ocasiões faz bem para o próprio usuário, que não fica na expectativa de uma ligação que pode receber.


TOQUE: atenção na hora de escolher a melodia que será tocada no seu celular. Além de revelar seu gosto musical, ela demonstra um pouco do estado de espírito. O toque tradicional do telefone continua sendo o melhor jeito de saber que ele está tocando. Cuide também o volume, não o deixe alto demais.
 

AFASTE-SE PARA ATENDER: sempre se coloque no lugar do outro. “É sempre bem-vindo aquele que recebe um telefonema, pede licença e vai atender no cantinho. Isso é elegante e gentil. Jamais peça para que as pessoas parem o assunto e se calem para você atender sua ligação”, diz a consultora.

 
NADA DE MÚSICAS:
se a pessoa que fala um pouco mais alto já incomoda quem está por perto, imagine se ela estiver ouvindo música no celular com o volume alto. Para curtir sua trilha sonora preferida, sem atrapalhar ninguém, o fone do ouvido é indispensável.

 
CUIDE O VOCABULÁRIO: evite o uso de linguagem inadequada em locais públicos. Mesmo que você tenha intimidade com quem está falando, lembre-se que há outras pessoas ouvindo.




“O uso excessivo do celular não demonstra que a pessoa é importante, pelo contrário, parece que ela está à disposição de todos, o tempo todo, ou ainda que não está muito à vontade ou não dando a devida importância ao ambiente em que se encontra”, Rosimere Morais.










EDIÇÃO IMPRESSA


Edição 118 - outubro de 2017

BUSCADOR

Última Edição Todas as Edições

Rua 7 de Setembro, 1015 - CEP 96508-011 - Cachoeira do Sul/RS
Telefone (51) 3722-9696 - Fax (51) 3722-9601